Infelizmente, a criminalidade continua em alta em todo o Brasil e no mundo. Nesta segunda-feira, 13, uma página do Facebook divulgou imagens de tortura contra algumas jovens, que supostamente pertenceriam ao tráfico. As identidades das garotas não foram reveladas e não se sabe quando e onde o vídeo foi feito. De qualquer forma, o conteúdo está provocando muita polêmica. As imagens mostram as garotas sendo humilhadas e sendo submetidas a perda da vaidade. Os criminosos usam tesouras e lâminas de barbear para descaracterizarem as meninas. Apenas um dos vídeos com a situação tem mais de 80 mil visualizações. Ele pode ser visto ao final dessa reportagem, mas contém conteúdo considerado forte.

Publicidade
Publicidade

O vídeo mostra cenas dos criminosos cortando os cabelos das jovens e também arrancando as sobrancelhas delas. As mulheres aparentam ser menores de idade e só reagem a ação com olhar de tristeza. Os bandidos dizem que elas estão fazendo muitas mancadas na comunidade e que aquilo era para elas aprenderem. "Que bagulho chapado é esse de vocês duas?”, diz um deles no vídeo que acabou viralizando. Outro meliante diz que as meninas estão vacilando muito. No entanto, nenhum deles chega a dizer o que de fato elas teriam feito para gerarem uma revolta tão grande deles.

Os meliantes ainda dizem que as garotas tem sorte, pois na conduta do #Crime daquela comunidade os estupros eram proibidos. Do contrário, elas iriam sofrer bem mais de outro modo. Uma das meninas tenta tampar o rosto com as mãos, mas os bandidos não deixam, revelando que a ação é para elas pagarem e que, por isso, elas precisam passar por vergonha.

Publicidade

Em algumas páginas na internet, pessoas dão conselhos para menores, que como as das imagens, acabam se envolvendo com coisas erradas. Esse tipo de humilhação é bem conhecida em comunidades de todo o Brasil.

Veja abaixo a sequência de imagens que mostram a humilhação dos bandidos com as garotas. Atenção, as imagens podem ser consideradas fortes por algumas pessoas. Por isso, deixamos o alerta.

#Investigação Criminal