Um crime de #roubo ocorrido nesta quinta-feira (23), por volta das 23h30, em Criciúma, Sul de Santa Catarina, está mobilizando a Polícia Militar, Polícia Civil e o próprio #Exército. Um soldado do 28º Grupamento de Artilharia e Campanha (GAC), situado no bairro 1ª Linha, foi rendido por criminosos, que roubaram um #fuzil.

Durante a ação criminosa, o soldado ainda teve um dedo ferido por faca, que os criminosos estariam utilizando. O militar foi socorrido e levado até o hospital. Segundo as últimas informações, ele teve o dedo amputado. Após o crime, os criminosos fugiram em um veículo preto em sentido à Rodovia BR-101.

Militares estão nas ruas à procura da arma

Logo após o ocorrido, todas as forças policiais da região foram acionadas.

Publicidade
Publicidade

Polícias Civil, Militar e Rodoviária começaram a fazer bloqueios e abordagens pela região. Militares do Exército também foram imediatamente mobilizados.

Na manhã desta sexta-feira (24), a cena vista da cidade parecia de uma intervenção militar: muitos veículos e soldados do Exército circulavam pelas ruas de Criciúma e região.

Ousadia dos criminosos

O 28º GAC fica em um bairro considerado calmo, na periferia de Criciúma. Entretanto, fica próximo à várias rodovias, inclusive muitas delas permitem a fuga rápida de criminosos, como por exemplo, a BR-101, principal rodovia federal que corta Santa Catarina, facilitando a ação de criminosos na região.

Em relação ao roubo ocorrido na noite desta quinta, muitos estão perplexos com a ousadia dos criminosos. O grupamento é considerado um lugar bastante seguro e chamou a atenção um sentinela ser surpreendido sem antes conseguir detectar a ação de pessoas que se aproximassem do quartel.

Publicidade

Outros casos já foram registrados em Santa Catarina

Em 2012, por exemplo, em Joinville, no Norte do Estado, foram furtados 47 armas do 62º Batalhão de Infantaria. Na ocasião, um cabo e um soldado foram presos.

O comandante do Batalhão também determinou a detenção de todos os militares, quase 600. As atividades permaneceram normalmente, mas ninguém podia sair do batalhão.