Um bebê de apenas 10 meses veio a óbito por intoxicação, neste domingo (19), após ingerir uma forte substância química, dada pela avó por engano, utilizada para limpeza automotiva e industrial. Segundo informações apuradas pela Polícia Militar (PM) de Jaú (SP), a avó confundiu o produto químico com suco de uva, colocou na mamadeira e deu para que a neta bebesse.

A #criança passou mal logo em seguida e foi socorrida para a Santa Casa da cidade, porém não resistiu à intoxicação. De coloração roxa, similar ao de suco de uva, a substância recebe a especificação de detergente desincrustante ácido. Sua formulação é composta por três ácidos: sulfônico, clorídrico e fluorídrico.

Publicidade
Publicidade

Conforme informações apuradas pela PM e relatadas no boletim de ocorrência (BO), a bebê, o irmão de 4 anos e os pais estavam morando durante a semana na casa dos avós devido a uma infestação de escorpiões na casa onde residem. Foi também mencionado no BO que, além dos avós, dois tios também moram na casa.

O caso está sendo investigado pela Polícia Civil como #homicídio culposo (quando não há intenção de matar). O produto químico é considerado fortemente tóxico, deve ser diluído na água na concentração de 1%, ou seja cada 1 litro do produto dá para fazer 100 litros do composto diluído em água.

Nas especificações, o fabricante ainda adverte que o produto deve apenas ser manuseado por alguém com luvas, máscara, botas de borracha e avental para a segurança. O composto químico serve para ser aplicado na limpeza de motores e várias outras superfícies metálicas.

Publicidade

Ainda segundo relatos, a avó estava fazendo o almoço quando o pai foi até a cozinha porque a criança estava com fome. A avó resolveu dar suco de uva para a menina. Em cima da pia havia dois recipientes, uma garrafa com o rótulo de suco de uva e um reservatório maior com composto químico de limpeza de coloração roxa.

A avó pensou que ambos se tratavam de suco de uva. Então, abriu o recipiente do produto químico, colocou na mamadeira e deu de beber a neta. Logo após a menina começou a passar mal e foi socorrida.

A família imediatamente ligou para o Serviço de Atendimento de Resgate de Urgência, que socorreu a criança. Enquanto a ambulância estava a caminho, socorristas davam instruções, por telefone, de como a avó poderia fazer para tentar reanimar a criança. #Casos de polícia