A Petrobrás acabou de informar em nota a imprensa nessa quinta(23), que houve um sinistro na unidade offshore denominada de P-19, que está sitiada no ativo Marlim, na Bacia de Campos. O #Acidente foi ocasionada porque um riser acabou caindo em plena atividade de produção. O poço acabou sendo selado de modo automático.

Segundo a Petrobrás, apesar dessa ocorrência a plataforma ainda continua sua produtividade com os poços restantes naquela bacia e que esses mesmos, se encontram em operação de modo seguro, sem qualquer tipo de perigo para colaboradores e equipamentos dessa unidade. A estatal está analisando se há consequências dessa manobra mal sucedida para o meio ambiente.

Publicidade
Publicidade

Pelo menos 2 PSV's (embarcações de apoio) estão de stand-by nas adjacências da P-19 para garantir apoio rápido caso qualquer outro incidente aconteça. A BR já relatou esse ocorrido aos órgãos competentes e os fatos estão sob investigação.

Felizmente não houve feridos, o que realmente é incomum em unidades offshore dessa magnitude.

Histórico anterior de acidentes na P-19

No dia 6 de maio de 2016, a P-19 já havia passando por outro acidente ocasionado por um incêndio que aconteceu no período da manhã desse dia. Em nota, a Sindipetro informou que o fogo chegou a torre de glicol no complexo de gases na unidade. Flavio Borges, que é o atual presidente da Sindipetro, na época também estava embarcado nessa plataforma e informou a todos os veículos de comunicação que o incêndio se iniciou por volta das dez horas e que ninguém se feriu.

Publicidade

O fogo foi combatido e teve seu controle executado com sucesso pelo time da brigada dessa unidade. Naquela época, a Sindipetro tinha informado que estava na linha de frente das investigações mas até o momento, não se chegou a uma conclusão final sobre a causa do incêndio.

Projetos para 2017

Lembrando que a P-19 está com um módulo em fase de construção no estaleiro Enaval, em Niterói (RJ). Essa estrutura que terá capacidade de acomodar 48 trabalhadores vai substituir os contêineres, que atualmente são usados para alocar os funcionários da plataforma e de outras empresas no dias de hoje. #Economia #Petrobras