No dia a dia, nos deparamos com situações que podem nos irritar bastante. Especialmente no trânsito, manter o controle de determinadas situações não é nada fácil. O tráfego pesado nas grandes cidades prejudica ainda mais isso. À espera de chegar nos compromissos, as pessoas, as vezes, acabam perdendo a cabeça por besteira. Algumas delas mostram um mau humor terrível. É comum, por exemplo, motoristas buzinarem quando tudo está parado, mesmo sabendo que o ato em si só vai irritar ele e os outros e que, na prática, geralmente, não faz o tráfego andar mais rápido para sua comodidade.

Um vídeo que circula na internet mostra o quão ruim pode ser esse tipo de atitude. Um homem muito malhado é protagonista das imagens, que começam com ele indo tirar satisfação com outro motorista.

Publicidade
Publicidade

O agressor, que vê o homem no carro com a família, decide partir para cima. Não se sabe porque o "bombadão" perdeu a cabeça e bate em uma pessoa que não pode fazer nada, até porque está impossibilitada de sair do veículo. O agressor vê que há crianças no carro. Elas choram tão alto que o barulho do desespero pode ser ouvido por populares. Um deles gravou o vídeo como maneira de denunciar o homem.

Algumas pessoas, percebendo que o motorista não agredia o bombadão e que havia crianças no carro, unem-se e afastam o agressor do veículo. É o tempo suficiente para o motorista pisar no acelerador e sair, rapidamente, do local das agressões. Mesmo a pé, o brutamonte tenta alcançar a família, mas felizmente, ele não é mais rápido que um carro. Muita gente criticou a atitude do homem malhado, que sequer deu a oportunidade do agredido sair de dentro do carro e ainda fez toda a ação na frente de crianças.

Publicidade

Veja abaixo o vídeo que mostra o homem malhado, aparentando descontrole e batendo em outro motorista. Na sua opinião, o que as autoridades deveriam fazer em torno desse caso, ou se situações parecidas como essa? Não esqueça de deixar o seu comentário. A sua opinião é sempre muito importante para todos nós e ajuda no diálogo de temas relevantes como esse.

#Crime