Uma brincadeira terminou com a morte do adolescente Wesner Moreira da Silva, de 17 anos, nesta quinta-feira (16), em #Campo Grande, no #Mato Grosso do Sul. O jovem trabalhava em um lava-rápido e, durante um tempo de folga, o dono do estabelecimento e outro funcionário resolveram pregar uma peça no garoto, inserindo uma mangueira de ar comprimido em seu ânus. O resultado disso foi perda de parte do intestino e morte em consequência de uma parada cardíaca 11 dias depois. A Polícia pediu a prisão preventiva dos envolvidos.

A agressão ocorreu no último dia 3 de fevereiro, quando o dono do estabelecimento teria colocado a mangueira de compressão de ar no ânus do jovem enquanto outra pessoa o segurava.

Publicidade
Publicidade

Em depoimento, a dupla afirmou que aquilo se tratava de uma brincadeira comum e que a própria vítima que teria começado. Durante o depoimento eles não foram presos, uma vez que se apresentaram espontaneamente e não ofereciam risco à vítima. Como não ficou evidente a conotação sexual, o caso não foi tratado como abuso.

O adolescente foi levado em estado grave para a Santa Casa de Campo Grande, onde passou por cirurgias. A pressão de ar foi tão violenta que estourou o intestino grosso e comprimiu os pulmões do adolescente. Ele até apresentou melhoras, chegando inclusive a gravar um vídeo agradecendo as orações e dizendo que logo estaria novamente em casa. No entanto, dias depois teve complicações no esôfago. Na última terça-feira (14), teve que retornar à ala vermelha do hospital e sofreu uma hemorragia, que provou uma parada cardiorrespiratória.

Publicidade

Os médicos ainda tentaram reanima-lo por 45 minutos. Após a morte, a Polícia pediu a prisão preventiva dos envolvidos. Eles podem ser indiciados por lesão corporal grave seguida de morte ou por homicídio doloso.

A mãe do garoto revelou que ele havia perdoado os agressores, porém não queria mais contato com eles. Emocionada, disse que ele estava ansioso para voltar para casa e sempre perguntava sobre seu quarto, que estava sendo reformado. #Violência