Noite de terça-feira (14), às 22h, os moradores do bairro Jardim Aparecida, na cidade de Alvorada, região Metropolitana de #Porto Alegre (RS), se deparam com uma cena de filme de terror: encontraram a cabeça de um jovem. Familiares da vítima fizeram o reconhecimento. Trata-se de Deivid Amora, 20 anos. O caso passa a ser investigado pela Delegacia de Homicídios de Alvorada. Ainda um pouco antes do ocorrido, um homem foi morto a tiros na cidade e a polícia investiga se há relação entre os dois crimes.

Corpo encontrado decapitado e esquartejado

Já na madrugada desta quarta-feira (15), um corpo sem cabeça e esquartejado foi encontrado dentro de um saco plástico que estava na estrada do Barro Vermelho, bairro Restinga, zona sul de Porto Alegre.

Publicidade
Publicidade

O corpo foi encaminhado para o DML (Departamento médico legal) para identificação. A polícia acredita que possa ser o restante do corpo do rapaz encontrado horas antes em Alvorada.

Casos semelhantes na região metropolitana

Desde o início do ano, na região metropolitana de Porto Alegre, ocorreram oito homicídios envolvendo esquartejamento, sendo cinco deles envolvendo também decapitação. Há menos de um mês, por exemplo, um corpo carbonizado, e com a cabeça arrancada, foi encontrado no interior de um veículo na cidade de Gravataí. Pela gravidade dos crimes, bem como pelo modus operandi, a polícia não descarta o chamado "acerto de contas".

Números assustadores de homicídios

A região da Grande Porto Alegre vem registrando nos últimos dias um número assustador de crimes de homicídio. Há dois dias em Porto Alegre, em menos de 4 horas foram registrados 7 homicídios.

Publicidade

Os seis primeiros, segundo a polícia, ocorreram em menos de duas horas. Em alguns casos, as vítimas tinham envolvimento com tráfico de drogas, em outros não. A polícia trabalha, em alguns casos, com a hipótese de latrocínio (matar para roubar).

Decapitação em presídios

Curiosamente, os casos de decapitação ocorreram - ou pelo menos aumentaram - logo após a ocorrência de decapitações e vazamentos de imagens de rebeliões em penitenciárias do norte do Brasil, como o caso em Roraima, que teve pelo menos 56 detentos mortos. Muitos deles tiveram a cabeça e o coração arrancados. Crimes semelhantes ocorreram anteriormente na região de Porto Alegre. #homicidios