Uma adolescente, de apenas 14 anos, foi violentada sexualmente pelo próprio pai. A situação terminou em tragédia, pois a jovem acabou matando o pai com um tiro de espingarda.

O caso aconteceu na noite da última terça-feira (07), no estado do Acre, em Ramal do Cachoeira, região localizada na zona rural de Tarauacá. De acordo com informações dos investigadores, a adolescente passou por um exame para comprovar o abuso sexual. Ainda, conforme os policiais, a jovem não vai ser apreendida, pois matou o pai para se defender.

A vítima relatou aos policiais que sofria abusos sexuais desde os 12 anos e já não suportava mais a situação que vivia.

Publicidade
Publicidade

Ela contou que era ameaçada constantemente pelo pai. Na noite em que ocorreu o #Crime, os pais da menina estavam bebendo e, após a mãe ter ido dormir, o pai foi ao quarto da filha e a obrigou a ter relação sexual com ele. O homem estava de posse de uma faca e ameaçava a jovem, dizendo que mataria a família inteira se ela não obedecesse.

A adolescente contou à polícia que resistiu ao abuso, a mãe acordou e, revoltada com a cena, iniciou um luta corporal com o homem que ameaçou matar todos para que não tivesse testemunhas. A jovem pegou a arma e efetuou o disparo contra o pai que não resistiu e veio a falecer.

Arrependimento

José Carlos Bezerra, presidente do Conselho Tutelar da região de Tarauacá, fez o acompanhamento da jovem durante o depoimento prestado aos policiais. Ele afirmou que a menina já está recebendo auxílio de um psicólogo.

Publicidade

De acordo com José Carlos, a adolescente está visivelmente abalada, porém, não chorou em nenhum momento durante a oitiva e ainda afirmou não estar arrependida do ato e que, se fosse preciso, faria tudo novamente, pois já não suportava ser abusada pelo pai. Segundo a adolescente, os abusos já aconteciam por dois anos. Ela ainda disse que, se o pai ficasse vivo, os abusos continuariam acontecendo.

A jovem foi ouvida por um psicólogo na manhã desta quinta-feira (09). O profissional fará um relatório que será analisado pelas autoridades, no qual decidirão se a mandam para um abrigo.

O caso continua sendo apurado pelos policiais de Tarauacá. #Estupro #Morte