Os últimos dias em Santa Catarina têm sido de muita chuva. Em algumas localidades, chegou a chover mais que o esperado para todo o mês de janeiro. Segundo informações de algumas estações meteorológicas espalhadas pelo estado, a tendência é que, a partir da tarde de quinta-feira, dia 2 de fevereiro, as chuvas aconteçam de forma bem mais isolada e em poucas áreas, trazendo um pouco de alívio para quem mora em encostas e outras áreas de risco.

Previsão

O meteorologista Ronaldo Coutinho, afirmou, no site Climaterra, que a quinta-feira (2) vai ter predomínio de ar úmido e quente, o céu vai permanecer nublado na maior parte do dia, com pouquíssimas aberturas de sol, se houver.

Publicidade
Publicidade

Estão previstas também, para o fim de tarde e início de noite da quinta-feira aquelas pancadas bem localizadas de verão (talvez de manhã, mas com muito pouca chance). Em muitas cidades elas poderão ocorrer com alguma intensidade (entre 40 e 80 mm) e outros municípios poderão passar sem #Chuva.

É importante frisar que, apesar de a chuva diminuir de intensidade, é preciso ficar muito atento às áreas de risco, onde o solo ainda está bastante encharcado.

Ainda segundo Coutinho, a temperatura deve subir um pouco em relação aos últimos dias. As temperaturas no interior de #Santa Catarina devem ficar em torno de 16ºC a 32ºC. No litoral sul, Grande Florianópolis, Vale do Itajaí e norte do estado, estarão em torno de 18ºC e 32ºC e, na região serrana, nos lugares mais altos, devem variar em torno de 11ºC e 24ºC.

Publicidade

Nos próximos dias, estaremos atualizando a previsão do tempo através de informações das centrais de radares e estações meteorológicas do estado. Mantenha-se atento às atualizações!

Áreas de risco

Santa Catarina possui muitas áreas de risco, devido a sua localização e relevo bastante acentuado. O estado possui gigantescas áreas de montanhas, serras, lugares de grandes altitudes, que, por muitas vezes, são bastante povoados e, ao mesmo tempo, localidades onde habitação e estudos geológicos não andaram de mãos dadas por muito tempo, com aumento do número de áreas que exigem atenção constante.