Com a chegada do verão, muitas cidades brasileiras começam a sofrer com as enchentes. Isto ocorre porque com a grande evaporação no volume das águas de rios e mares este fator passa a refletir no índice pluviométrico, que calcula a quantidade da queda das águas das chuvas numa determinada região e num dado espaço de tempo.

De acordo com informações da prefeitura do município de Campo Novo (Cuiabá), choveu cerca de 150 milímetros desde a tarde de sexta feira(10) e a água estaria a 1,5 metro de altura dentro das casas.

O forte #temporal chegou a inundar avenidas, praças e ruas do município, mas o bairro mais atingido foi o de Jardim das Palmeiras.

Publicidade
Publicidade

Desabrigados

As imagens divulgadas mostram a cidade debaixo d'água. Mais de mil pessoas ficaram desabrigadas e tiveram que deixar suas casas às pressas. Um ginásio na praça da cidade foi usado para receber doações aos moradores que perderam quase tudo com este forte temporal.

O governador Pedro Taques afirmou que iria à cidade neste domingo (12) verificar os efeitos causados pelo temporal e os alagamentos e, assim, tomar as providências necessárias para ajudar os moradores que foram atingidos.

As últimas notícias divulgadas na mídia sobre a situação informaram que "um dos pontos mais críticos é a região do viaduto Clóvis Roberto, na Avenida Fernando Corrêa da Costa, que fica próximo ao acesso ao campus da Universidade Federal de Mato Grosso e do Córrego do Barbado."

Projetos em andamento

Não é a primeira vez que Cuiabá sofre com estes alagamentos, em dezembro de 2015, inclusive, o governo do estado firmou um convênio com a UFMT, no valor de R$ 616,4 mil, para a elaboração de projetos para a diminuição e frequência da exposição da água, que fica acumulada sob o viaduto nas épocas de chuva.

Publicidade

A primeira parte do convênio foi concluída em janeiro de 2016 e previa obras de drenagem no Córrego do Barbado.

Os brasileiros precisam estar preparados para lidar com as #chuvas e inundações que a cada ano se tornam mais frequentes. Infelizmente há uma carência de projetos que visem atenuar os danos causados pela chuvas e temporais nas pequenas e grandes cidades. #Inundação