A Polícia Civil irá investigar de um caso de estupro contra dois meninos, de apenas 4 e 5 anos, registrado nesta terça-feira (31), em Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira. O crime foi descoberto depois que vizinhos telefonaram para a Polícia Militar para denunciar que havia quatro menores na rua sozinhos. As vítimas, assim que foram abordadas pelos militares do 27° Batalhão, denunciaram o caso.

De acordo com a Polícia Militar, o garoto de 4 anos disse que foi estuprado por um adolescente que tem 14 de idade, e que ele obrigou a criança a fazer sexo anal e oral. O menino de 5 anos relatou que também foi obrigado a fazer sexo anal e oral com o garoto de 11.

Publicidade
Publicidade

As vítimas relataram que o fato ocorreu na casa dos adolescentes. Os dois suspeitos moram no Bairro Nova Germânia.

As vítimas foram acompanhadas pelos responsáveis até o Hospital de Pronto Socorro (HPS) para passarem por exames e não foi constatada nenhuma penetração nas análises feitas. A criança de 4 anos disse que houve abuso, mas que o adolescente passava somente seu órgão genital nas suas partes íntimas.

Segundo os relatos das testemunhas que fizeram a denúncia, as crianças de 4 e 5 anos ficam na rua o dia inteiro e sem nenhum responsável legal. Quando a Polícia Militar chegou ao local, o garoto de 11 anos estava sozinho em casa. A mãe do garoto de 11 anos e os pais das vítimas foram presas por abandono de incapaz.

Os suspeitos negaram o abuso, e culparam um ao outro de ter abusado dos menores.

Publicidade

Os dois foram até a Delegacia de Polícia acompanhados pelos seus responsáveis legais. O delegado apenas conversou com os dois acusados e os liberou para os responsáveis.

O caso foi encaminhado para a 2ª Delegacia de Polícia Civil de Juiz de Fora, onde poderão contar com o apoio da DEAM, que é especializada no atendimento à mulher, para apurar a denúncia dos estupro e de abandono de incapaz. O Conselho Tutelar de Juiz de Fora acompanha o caso, mas nenhum responsável foi encontrada para falar sobre o caso. Por envolver menores, a investigação corre em sigilo. #Abuso Sexual #Investigação Criminal