A segunda reunião entre as esposas de Policiais Militares, associações de policiais e o governo do Estado do Espírito Santo acabou na madrugada desta sexta-feira (10), no Palácio da Fonte Grande, em Vitória. A reunião durou mais de 10 horas, foi a portas fechada e acabou sem nenhum tipo de acordo. As esposas dos PMs vão manter as manifestações nas portas dos quartéis, impedindo a saída de viaturas e policiais, e aguardam uma nova proposta do governo ainda nesta sexta-feira.

A paralisação dos policiais militares entra hoje no sétimo dia, que tem levado o caos para as cidades dos Estados, principalmente a capital, Vitória.

Publicidade
Publicidade

Desde o início da greve no sábado passado (4), ocorreram 113 assassinatos, diversos roubos, saques a estabelecimentos comerciais e tiroteio nas ruas.

Uma das esposas dos militares, Fernanda Silva, disse, após a reunião, que nos moldes da proposta apresentada pelo governo não haverá acordo. “Eles não deram garantia nenhuma de reajuste. Já foram 113 mortes e a greve continua”, disse a esposa do policial militar.

O secretário de Estado dos Direitos Humanos, Julio Pompeu, disse que a falta de acordo é porque o governo está dentro do limite da Lei de Responsabilidade Fiscal, não podendo aumentar seus gastos.

“Isso nos impede legalmente de darmos qualquer aumento a qualquer categoria neste momento. Nos dispomos a quadrimestralmente, quando são avaliadas as contas do Estado, em havendo aumento da arrecadação tributária, nós damos aumento linear a todos os servidores do Estado”, disse Pompeu.

Publicidade

Não se tem informações sobre alguma nova reunião entre as mulheres dos Policiais Militares e o governo do Estado do Espírito Santo. O governo disse ainda que deixou em aberto para que as esposas aceitassem a proposta do estado até as 6h a manhã desta sexta-feira.

O grupo formado por mulheres de militares não esperou nem terminar a reunião e saiu falando que não haveria mais acordo com o governo. Só que os assessores do governo afirmaram que a reunião continuava, pois outro grupo de mulheres continuava dentro do palácio. A reunião com as esposas dos PMs chegou ao fim a 1h desta sexta-feira sem chegar a nenhum tipo de acordo.

O Estado do Espírito Santo está sem nenhum Policial Militar nas rua. Manifestações dos familiares dos PMs estão bloqueando os portões dos batalhões, impossibilitando a saindo dos militares.

As famílias pedem reajuste salarial para a categoria, que está há três anos sem aumento. O caos na #Segurança pública do Estado começou no sábado passado (4). #Espirito Santo #Casos de polícia