Nesta quinta-feira, 2, os médicos confirmaram que o estado de saúde da ex-primeira dama do Brasil e esposa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Dona Marisa Letícia, é irreversível. Internada desde o dia 24 de janeiro com um Acidente Vascular Cerebral (AVC) do tipo hemorrágico, o mais grave de todo, a mulher do líder do Partido dos Trabalhadores (PT) lutou cerca de uma semana antes que a notícia grave fosse dada pelos médicos. Lula colocou sua mulher em um dos hospitais mais renomados e caros do Brasil, o Sírio Libanês, em São Paulo. No local, os profissionais da saúde fizeram tudo o que foi necessário para reverter o quadro. Inicialmente, uma cirurgia foi realizada para desinchar o crânio da paciente. Esse procedimento foi considerado um grande sucesso.

Por isso, a ideia seguinte era reverter o coma forçado.

Publicidade
Publicidade

Com o crânio sem o inchaço, os profissionais reduziram os sedativos. No entanto, sem os remédios, um novo coágulo foi formado no crânio de Dona Marisa e nesta quarta-feira, a morte cerebral dela foi confirmada. Isso significa que não há absolutamente mais nada que possa ser feito pela saúde da paciente. A morte em si, geralmente, fica a critério da família, que pode ainda determinar que os aparelhos que fazem o "papel" do cérebro fiquem ligados. Até o fechamento desta reportagem, Lula e os filhos não haviam determinado o que fazer.

Com a oficialização da morte cerebral de Marisa, o nome dela se tornou o assunto mais comentado do Twitter. Comentários de ódio foram feitos e muita gente até escreveu que a ex-primeira dama já estava partindo tarde. Enquanto isso, até pessoas que não gostam de Lula, decidiram apoiá-lo nesse momento, pois dizem que uma coisa é política e outra é família.

Publicidade

Veja algumas das mensagens de gosto duvidoso publicadas na internet sobre o assunto e que estão dando o que falar:

Na sua opinião, esse tipo de comentário em um momento difícil como esse é adequado? Não esqueça de deixar sua opinião. Ela é sempre muito importante para todos nós e ajuda no diálogo. #Luto #Marisa Letícia