Apesar da chegada esta semana de aproximadamente 1.200 soldados para substituir a Polícia Militar em greve, as ruas do Estado do Espírito Santo, principalmente na capital Vitória, permanecem perigosas. As tropas enviadas até agora "não são suficientes", disse o governador do Estado Cesar Colnago. E a população segue com medo se sair nas ruas, pois o caos ainda prevalece.

Ainda é possível ver nas ruas do Espírito Santo roubos de carros, assaltos e invasão de lojas para saquear. As cidades capixabas foram abandonadas pelos policiais militares, que buscam reajuste salarial. De acordo com o Sindicato da Polícia Civil, houve 90 assassinatos desde que a #Greve começou no sábado passado (4).

Publicidade
Publicidade

No mês de janeiro, foram apenas quatro.

Já aconteceram 200 roubos e cerca de R$ 90 milhões em danos a empresas, incluindo os roubos em massa de lojas, disse o sindicato. O governo ainda não liberou as estatísticas oficiais da criminalidade que vem acontecendo todos os dias.

'Greve branca'

A legislação brasileira proíbe a Polícia Militar de entrar em greve, mas no Espírito Santo, parentes e simpatizantes estão bloqueando os quartéis, impedindo a saída de viaturas e PMs. Os policiais militares ficam interior sem fazer nenhum esforço para sair, deixando efetivamente a cidade abandonada e desprotegida.

Os policiais militares, que estão há três anos sem reajuste salarial, querem melhores condições de trabalho e aumento. A Justiça já declarou a greve ilegal, mas os PMs não voltaram ao trabalho.

Publicidade

A greve reflete a crise financeira enfrentada por diversos Estados em todo o Brasil, que tem enfrentado uma recessão paralisante por dois anos e está lutando para voltar a crescer.

Crise na segurança

O país que é também é considerado um dos mais violentos do mundo, com criminosos fortemente armados e facções poderosas que lutam tanto nas ruas quanto nas prisões. O confronto que aconteceu na prisão em Natal (RN), deixando 26 pessoas mortas, é um grande exemplo de como o Brasil é um país inseguro.

O Exército sempre é chamado para conter esses grandes conflitos, mas, infelizmente não está conseguindo manter a paz no Espírito Santo até o momento.A população já fez protestos nas ruas pedindo mais segurança. #Espirito Santo #Casos de polícia