O exército brasileiro disse que vai enviar mais tropas, veículos blindados e aviões militares para o Espírito Santo - onde a polícia está em #Greve por uma semana - com intuito de aumentar o número de homens nas ruas para conseguir manter a segurança dos cidadãos.

Uma onda de violência e criminalidade no Espírito Santo já custou mais de 103 vidas até agora, o que é um grande aumento, considerando os quatro assassinatos registrados em todo o mês de janeiro.

O anúncio na quinta-feira (9) aconteceu um dia depois Cesar Colnago, o governador do estado em exercício, relatar que os 1.200 soldados que chegaram no início desta semana não foram suficientes para ajudar a acabar a agitação desenfreada do estado, que começou depois que os policiais deixaram os seus postos na sexta-feira, em protesto por salários e melhores condições de trabalho.

Publicidade
Publicidade

"A partir de agora eu decidi reforçar a segurança do Espírito Santo com paraquedistas, veículos blindados e aviões do exército. A missão será cumprida. A ação do Exército no ES é pontual. Vem viabilizar as negociações do governo e trazer paz à população. Não vamos substituir a PM", disse o General Villas Boas, comandante do Exército do Brasil, via Twitter nesta quinta-feira.

Onda de assaltos e mortes

O jornal da Rede Globo já relatou que o sindicato da polícia do Espírito Santo disse que mais de 103 pessoas já foram mortas em uma onda de assaltos, roubos de carros e saques na capital Vitória e em outras cidades do estado.

Parentes e simpatizantes dos policiais militares estão bloqueando as delegacias e os oficiais ficam lá dentro sem fazer nenhum esforço para sair, como uma 'greve branca', deixando que o estado passe por momentos parecidos com uma guerra.

Segundo informações do próprio governador Cesar Colnago, foram realizadas algumas negociações com a polícia, mas não tiveram nenhum resultado.

Publicidade

Os policiais alegam que só voltam aos seus postos depois de terem suas exigências cumpridas.

Ele também fez um apelo nesta quinta-feira para pessoas doarem sangue, dizendo que o estoque do estado já estava acabando. "Foram reduzidos a um mínimo nos últimos dias" disse o governador em comunicado. #Espirito Santo #Casos de polícia