Um pai é acusado de matar a sua própria filha na noite de sexta-feira (10), em São Paulo, na Zona Sul. O #Crime contra a filha de 40 anos ocorreu por causa de herança. O assassinato da moça ocorreu às 21 horas, na Rua Olímpio Rodrigues da Silva.

A polícia informou que o pai tinha ido até à casa de Maira Cintra Soares e os dois tiveram uma discussão. Durante a discussão, o pai da moça disparou vários tiros na cabeça da filha, na frente dos 3 #Filhos da vítima, que estavam ali no momento. As pessoas que estavam por perto acionaram o socorro, mas ela não resistiu e faleceu no local do crime. Após o assassinato, Frederico Carneiro Soares fugiu.

Publicidade
Publicidade

Maíra havia postado no Facebook, em agosto de 2016, um vídeo no qual conta que tinha muitas desavenças com seu pai, porque ele estava muito interessado na herança deixada por sua falecida mãe. Há processos na justiça pela disputa da casa, no valor R$ 200 mil, que foi deixada pela sua mãe.

No vídeo, ela diz ainda que ela e seu irmão sofreram muitos maus tratos e haviam sidos internados em muitos colégios internos no Estado de São Paulo desde o falecimento da mãe.

Quando sua mãe faleceu, os seus pais já eram separados, mas não tinham o divórcio oficializado e, segundo a vítima afirmava, seu pai recebia uma pensão e tinha intenção de ficar com a casa e a herança deixada pela ex-mulher. No vídeo foi relatado que seu irmão ficou muito desorientado nos colégios internos e teve que ser internado em um hospital psiquiátrico quando tinha 16 anos.

Publicidade

A vítima relembra um episódio em que seu pai tentou expulsá-los de casa com a ajuda de seguranças. Frederico Soares teria falado que os filhos eram indigentes, mas foi comprovado que eles eram herdeiros, e por isso não conseguiu expulsá-los da residência que ele tanto queria.

O caso de homicídio foi lavrado no 89° Distrito Policial, no bairro do Morumbi. O site de noticias G1 tentou entrar em contato com o advogado do acusado, mas não conseguiu localizá-lo para esclarecer com mais detalhes o fato ocorrido. #Investigação Criminal