De acordo com informações da Rádio Bandeirantes de São Paulo, um homem de vinte e sete anos foi preso nessa semana por um crime bárbaro. O criminoso, que não teve o nome identificado, acabou sendo preso após cometer uma maldade sem tamanho contra a própria mãe. Ela a assassinou com as próprias mãos, como mostra a repercussão sobre o caso dada pelo site 'Web Diário'. O #Crime, segundo os relatos da imprensa, aconteceu em um local que deveria ser de paz, a cada da família, que fica no Jardim 21 de Abril. O filho até tentou fugir após cometer o assassinato contra sua progenitora, mas foi preso em Osasco. Ele não teria negado os atos que cometeu contra a mulher, de cinquenta e um anos de idade.

De acordo com a Rádio Bandeirantes, essa não é a primeira passagem do criminoso pela polícia.

Publicidade
Publicidade

No passado, há oito anos, ele também matou outra pessoa. Na ocasião, ele assassinou a sangue frio o próprio pai. A família nega que o homem tenha problemas mentais, mas revela que ele perde o controle, quando o assunto é droga. O criminoso, apesar de ter cometido um assassinato, passou cinco anos na cadeia. A família dele estava tentando recuperá-lo do vício em drogas. Há pelo menos um ano o criminoso vivia com a mãe. Ela, mesmo tendo perdido o esposo que tanto amava teve compaixão do filho. A mulher, que seria evangélica, foi encontrada sem vida em uma cama. Ele foi assassinada com um corte profundo dado no pescoço, o que a deixou com poucas chances de sobreviver a um socorro.

Aós cometer o crime, o rapaz ficou desnorteado e pediu a ajuda dos vizinhos, questionando o que deveria fazer. O homem correu até um salão de cabeleireiros do bairro e confessou o que havia feito.

Publicidade

De acordo com o rapaz, sua mãe gritava muito com ele e "pediu para ser morta", pois não aguentava mais tanto sofrimento. O caso causou revolta entre a população local. Vizinhos garantem que a mulher era muito boa e que nunca causou problemas na região, diferente de seu filho, que volta para a cadeia órfão de pai e mãe e sem para onde voltar. #Investigação Criminal