A deputada petista, #Maria do Rosário, disse que irá acionar a Polícia Federal para investigar fotos de sua filha que vazaram em redes sociais e foram distribuídas por diversos meios de comunicação. A menina tem 16 e estaria com supostas fotos sensuais na rede. Além disso, internautas afirmam que a moça seria usuária de #drogas e teria problemas de saúde, como anorexia.

As imagens circuladas da garota seriam do ano passado, muitos afirmam que sua mãe deputada não teria condições suficientes para criar a filha. Em nota, Maria do Rosário disse que sua filha está sendo vítima de criminosos da internet e que informações manipuladas trazem desconforto para qualquer pai e mãe, além de péssimas consequências para a vítima.

Publicidade
Publicidade

Maria do Rosário acredita que a filha estaria sendo atacada por conta de sua posição política. Firmemente, a deputada afirma que não irá deixar que sua filha seja desrespeitada em nenhum meio: "Não conseguirão".

Fotos constrangedoras mostram a menina semi nua e aparentemente utilizando drogas em uma ambiente sujo.

Ex-ministra do governo de Dilma Rousseff no ministério dos Direitos Humanos, Maria do Rosário diz que providenciará medidas cabíveis para identificar atos criminosos contra a sua família e que essas pessoas serão responsabilizadas.

Internautas também disseram que a mãe da garota deveria ser presa por deixar a filha viver em uma situação tão degradante.

Depois de um acontecimento envolvendo o deputado Jair Bolsonaro em 2014, Maria do Rosário começou a ser atacada nas redes sociais.

Publicidade

Os dois se desentenderam enquanto a deputada discursava na Câmara sobre mulheres vítimas da ditadura militar.

Conforme o Estatuto da Criança e do Adolescente, é proibido reproduzir imagens, fotografar ou registrar qualquer cena de menores de 18 anos em situações sensuais a fim de divulgar as imagens. Mesmo compartilhando uma foto que a própria jovem postou, pode ser considerado crime.

Maria do Rosário é casada com Eliezer Pacheco, ela também é criticada pela forma que defende os direitos humanos. Após a nomeação de Michel Temer na presidência, a deputada afirmou que iria sair do país. #Doença