Bruno Fernandes deve voltar a jogar. Pelo menos é isso p que quer o clube Montes Claros, de Minas Gerais. A entidade tem um contrato com o jogador e estabelece que, caso o goleiro não cumpra o acordo, ele terá que pagar uma multa milionária: de três milhões de reais. O salário anual de Bruno também deve beira a casa do milhão, o que explica o tamanho de sua multa. O contrato de Fernandes com o Montes Claros, de acordo com uma reportagem publicada nesta segunda-feira, 27, pelo portal de notícias UOL, dura até o ano de 2019. Em contato com o site, o Montes Claros diz que, caso Bruno queira negociar com outro clube, esse time terá que procurá-lo.

Publicidade
Publicidade

Clubes do mundo inteiro querem o passe do atleta, mesmo com ele a sete anos sem jogar.

A procura pelo jogador começou assim que o Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio de Mello, divulgou decisão em que considerada Bruno apto para esperar a análise de seu julgamento em liberdade. Fernandes estava há quase sete anos em reclusão provisória por conta da morte da sua ex-amante e mãe de seu filho, Eliza Samudio. O crime aconteceu em 2010. O primeiro julgamento de Bruno foi em 2013, mas ficou constatado que algumas provas utilizadas no caso eram confusas. Até hoje, ele nega participação na morte de Eliza. Em 2013, o ex-goleiro do Flamengo foi condenado a 22 anos de detenção.

"Quem tiver interesse no Bruno pode procurar a gente. Os empresários dele têm que dar uma satisfação para gente, entendeu?", disse um dos advogados de Bruno ao UOL.

Publicidade

Fernandes está com trinta e dois anos, uma idade considerada de já fim de carreira para o futebol. Mesmo assim, ele tem atraído os olhares do mundo, seja pelo seu talento, que ninguém sabe se ainda é o mesmo, ou então pela mídia que ter Bruno em um clube traria.

"Por que a imprensa não esclarece que, sendo liminar, a decisão do Judiciário não significa o fim do processo? Ele ainda vai ter o recurso julgado e pode voltar à cadeia. Então como fazer planos diante de uma situação dessa? Colabora!", opinou um internauta sobre o caso. #Goleiro Bruno