Secretários do governo do Espírito Santo (ES) iniciaram nesta quarta-feira, dia 8, as primeiras negociações com mulheres e representantes dos policiais militares para encerrar a greve da PM atualmente em curso no estado. A #Greve chega ao seu sexto dia nesta quinta-feira, dia 9, e a situação tem provocado calamidades nas ruas das principais cidades do ES.

Segundo noticiado pela Agência Brasil, o secretário dos Direitos Humanos, Julio Pompeu, afirmou que os policiais querem anistia para todos os envolvidos na greve e aumento salarial de 100%. A primeira pedida se deve ao fato de que, por lei, os PMs são proibidos de realizar greves.

Publicidade
Publicidade

A Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Bilitar do Espírito Santo afirma que os salários da categoria no estado são de R$ 2,6 mil, muito abaixo da média nacional de R$ 4 mil. Segundo a Agência Brasil, Pompeu afirmou que uma nova reunião entre representantes do governo e dos PMs será feita na tarde desta quinta-feira, em novas tratativas para encerrar a greve.

Governador em exercício do Espírito Santo, César Colnago afirmou que neste momento não há a possibilidade de realizar um reajuste salarial no momento. “Estou confiante que vamos conseguir restaurar a sanidade, pois o que estamos vivendo é um estado de total insanidade”, afirmou o governante.

Para auxiliar no combate ao crime, 1.850 homens das Forças Armadas foram deslocados para as principais cidades do estado.

Publicidade

Eles atuarão na segurança da população até que a greve seja finalizada. #Espirito Santo #Casos de polícia