Mais uma polêmica acabou dando dor de cabeça para os militantes do Partido dos Trabalhadores (#PT), que foi a presença de repórteres indesejados, neste último sábado (04).

Uma equipe da TV Globo foi expulsa do #Velório da ex-primeira-dama, Marisa Letícia, que foi realizado no ABC Paulista, no Sindicato dos Metalúrgicos.

O repórter César Menezes teve que parar a cobertura que estava fazendo sobre o velório da mulher do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para não ser agredido. Os militantes estavam eufóricos e gritando "fora golpistas e fascistas".

A expulsão dos repórteres, cinegrafistas e os câmeras foi o assunto mais comentado em todos os países, que acabou sendo destaque de todas as emissoras pela vergonha que os funcionários da TV Globo acabaram passando.

Publicidade
Publicidade

Os integrantes do Partido dos Trabalhadores acreditam que a TV Globo tem uma parcela de culpa na morte da ex-primeira-dama.

Para os petistas e seus advogados, o fator principal da morte da Sra. Marisa Letícia, esposa de Lula, foram as supostas mentiras que a imprensa vêm colocando sobre a investigação da "Lava Jato", que está sendo conduzida pelo juiz federal Sérgio Moro.

O senador Lindbergh Farias publicou uma nota em seu Facebook, informando que apoia as palavras dos advogados do (PT), que diz que "Mataram a ex-primeira-dama".

Fortes emoções

Em discurso, o ex-presidente Lula ficou emocionado ao lembrar de sua companheira de anos e disse que não tem que provar que é inocente.

O ex-presidente ressaltou que Marisa morreu triste e que a "canalhice e a imbecilidade" que fizeram com ela foi uma "covardia".

Publicidade

Lula ainda diz que vai dedicar o resto da sua vida para provar que a maldade que fizeram contra ela foi um jogo covarde e humilhante e que ela e ele sempre foram inocente.

Lula se despediu muito emocionado, embargado em lágrimas, dizendo que o seu "#Lulinha" vai ficar em paz e vai lutar para limpar a reputação da sua esposa, que os canalhas sujaram.

Depois do discurso, o ex-presidente Lula teve o prazer de cumprimentar todas as pessoas que estavam no velório e a fila que dobrava o quarteirão.