O clima no Espírito Santo ainda é de caos. Mesmo com a presença do Exército, a população revela, através das redes sociais, que a violência não teria diminuído. Nesta segunda-feira, 6, por exemplo, tiroteios e assaltos foram registrados em diversas regiões do estado. Na cidade de Vila Velha, por exemplo, um guarda municipal foi mais uma das vítimas do #Crime exacerbado. De acordo com informações da afiliada da TV Globo na região, o profissional foi atingido na perna. O vídeo do socorro ao guarda, que acabou acudido em plena rua por uma colega de trabalho, pode ser visto ao final da reportagem.

A violência começou a aumentar na região, após os policiais militares iniciarem uma greve.

Publicidade
Publicidade

Eles pedem um aumento salarial, além de melhores condições de trabalho. O governo do estado já disse que a greve é ilegal e que, no momento, mal tem condições de pagar a folha salarial atual dos servidores. Um aumento poderia provocar uma inadimplência geral na região. Os estados, especialmente os do Sudeste, registram uma crise mais latente, pois além da crise geral do país, nos últimos tempos houve uma redistribuição dos royalties do petróleo, o que prejudicou e muito regiões como o Rio de Janeiro, que convive com atrasos constantes nos pagamentos dos servidores, além de greves.

PM começa a voltar na rua

Como a coisa saiu do controle no Espírito Santo, o governo pediu a ajuda ao Exército, que começou a circular nas ruas de algumas cidades capixabas ainda na segunda-feira, 6, mas mesmo assim os moradores continuaram a postar relatos de descontrole.

Publicidade

Muitos fizeram campanha para os agentes voltarem a trabalhar. De acordo com informações do UOL, à noite, alguns batalhões voltaram às ruas. Ainda não há números fechados sobre a criminalidade na região.

Veja abaixo o vídeo que mostra o guarda municipal baleado nas ruas de Vila Velha. Na sequência, uma colega do profissional tenta oferecer a ele ajuda. As imagens fazem parte de uma reportagem da Rede Globo de Televisão e são consideradas fortes por algumas pessoas.

#Investigação Criminal