Nessa semana, um assassinato cruel chamou a atenção da cidade de São Domingos do Brejo da Madre de Deus, no estado de Pernambuco. Um homem foi assassinado acusado de estuprar a própria irmã, de apenas seis anos. O rapaz, conhecido como 'Nego', além de ser linchado e morto pela população, teve um cabo de vassoura introduzido em seu ânus. O homem tinha dezesseis anos e, por se tratar de um menor de idade, preservaremos o seu nome. Nenhum suspeito de cometer o #Crime acabou sendo detido pelas autoridades. A população local apenas disse que o rapaz teve o castigo que merecia. No entanto, lembramos que esse tipo de atitude não é a recomendada e que é sempre bom esperar uma pessoa investigar melhor as coisas, a fim de se evitar grandes injustiças.

De acordo com sites de notícia local, informações dadas pela polícia disseram que alguns moradores ligaram para falar de um corpo jogado perto de um terreno baldio.

Publicidade
Publicidade

Quando os policiais chegaram ao local, o jovem já estava morto. Ele estava com o seu cadáver estendido e com um cabo de vassoura enfiado em seu orifício anal. A área foi fechada para a perícia e o corpo da vítima levado ao Instituto Médico Legal (IML) da região. Segundo a família do jovem, ele acabara de sair de um reformatório após cumprir reforma educativa por ser acusado de abusar sexualmente de outra criança. Dessa vez, no entanto, o jovem teria cometido o ato criminoso contra a própria irmã.

Infelizmente, crimes de abuso sexual, mesmo os que envolvem familiares, são extremamente comuns em todo o país. O caso mostrado nessa matéria não é único. Todos os dias crianças e adolescentes são molestados por quem deveria protegê-los. O crime contra os menos, muitas vezes, acaba ficando impune por medo.

Publicidade

É uma situação difícil de se resolver, mas que deve ser denunciada.

Na sua opinião, a população agiu de maneira errada ao tratar assim o rapaz das imagens? Não esqueça de deixar o seu comentário. Ele é sempre muito importante para todos nós e ajuda no diálogo de temas importantes para a sociedade. #Investigação Criminal