De acordo com informações do portal de notícias R7, em reportagem publicada nesta sexta-feira, 10, o homem que bateu na guarda feminina, na cidade de Três Corações, no Sul de Minas Gerais, acabou sendo solto na tarde desta sexta-feira, 10. O empresário Luiz Felipe Neder Silva, de trinta e quatro anos, já estava desde o ano passado tentando responder ao #Crime em liberdade. A decisão de soltar Luiz, para que ele responda ao caso em liberdade, foi dada pelo Tribunal de Justiça do estado de Minas Gerais. A entidade aprovou o chamado Habeas Corpus ao comerciante. Esse é um dos benefícios mais comuns do direito.

A revelação dada pelo Tribunal de Minas revoltou a população nas redes sociais.

Publicidade
Publicidade

Muita gente ficou completamente indignada com a situação. "Esse é o nosso Brasil. O cara dá socos e pontapés em uma mulher, que estava em serviço, e consegue ser solto rapidinho só porque tem dinheiro, deveria mofar na cadeia", disse um internauta completamente indignado com a notícia, que de fato é bastante reveladora e muda bastante coisa no caso. O empresário que agrediu a guarda feminina foi preso poucos dias depois de bater na funcionária, que trabalha para um clube na região. A prisão aconteceu em dezembro. Ele foi indiciado por ameaçar a mulher e também por lesão corporal.

A guarda em questão é Edvânia Nayara, de vinte e três anos. Além dela, um outro segurança, não mostrado no vídeo, teria apanhado antes pelo homem. O advogado do empresário confirmou que ele deixou a Penitenciária Neson Hungria na tarde desta sexta.

Publicidade

O presídio fica no município de Contagem, próximo à capital do estado, Belo Horizonte. Segundo o portal de notícias R7, o empresário responde a dois processos. Um deles é por ter sido visto batendo em Edvânia e no outro segurança. Já outro processo é por bater na própria mulher, que curiosamente é a delegada responsável pela Delegacia da Mulher da região. A profissional foi identificada como Ana Paula Gontijo.

O que você achou da libertação do homem que bateu na guarda? Comente! #Investigação Criminal