Um rapaz de apenas 22 anos, Henrique dos Santos, passou por momentos de "sufoco" em um #Hospital no litoral paulista, #Praia Grande. Ele chegou com quadros de desidratação acompanhado de sua mãe, Fabiana Amaro dos Santos. O jovem havia desaparecido há cerca de três dias e deu entrada no Hospital Irmã Dulce.

A mãe do garoto explicou que ele sofre de distúrbios psíquicos que são controlados com remédios de tarja preta, conforme chegou em casa depois de dias desaparecido, sua mãe notou que o garoto não estava aparentemente bem e o encaminhou para o hospital.

O desespero de mãe e filho começou quando enfermeiras aplicaram quadro injeções no garoto, Fabiana não conseguiu dizer quais eram os componentes das injeções.

Publicidade
Publicidade

Logo após o corpo receber as dosagens, o braço de Henrique começou a necrosar. A mãe conta que esperaram dez dias, mas como os sintomas não apresentaram melhoras, foi realizada um cirurgia de emergência. Sem sucesso, o garoto teve que amputar o braço na altura do cotovelo.

Sofrimento

Depois da cirurgia, o garoto entrou em estado de desespero e acabou fugindo do hospital. A mãe, Fabiana, disse que ele está sofrendo muito e que o hospital não estaria dando o suporte necessário para a família. Ela disse que as informações repassadas de que o garoto estaria se recuperando, eram mentiras, pois Henrique teve que amputar seu membro direito.

Uma reclamação no hospital foi protocolada pelos familiares da vítima, mas os funcionários da equipe médica seguem trabalhando no local. Fabiana acredita que as injeções foram as causadoras do mal estar que consequentemente prejudicou a vida do filho.

Publicidade

A polícia já foi acionada e enfatizou estar avaliando o ocorrido, sendo que enfermeiros deverão prestar depoimentos. A administração do Hospital Irmã Dulce, disse que irá prestar toda a assistência necessária e que eles já estão com três medidas administrativas a serem realizadas, mostrando-se disponíveis para prestar quaisquer esclarecimento sobre o quadro do paciente.

A amputação do braço direito do garoto se deu início a buscar a ajuda para resolver um problema não relacionado, a desidratação. Fabiana afirma que antes das injeções, seu filho não tinha nenhum problema no membro. #vitima