A prisão preventiva de Milton Omena Farias Neto, acusado de matar seu avô durante uma discussão em janeiro deste ano, foi revogada nesta quinta-feira (9). A juíza Adriana Carla Feitosa Martins, da Vara do Ofício Único, da Comarca de Paripueira, da Região Metropolitana de Manaus, no Alagoas, foi quem concedeu a liberdade provisória do jovem, um dos fatores que levou a decisão da juíza, foi o bom antecedente criminal do rapaz e o fato dele ser réu primário. Outros fatores que também contaram em favor Milton Neto, foi o fato dele não ter fugido, e de buscar socorro para vítima, logo após o #Crime.

O crime aconteceu no dia 27 de janeiro, quando Milton Neto e seu avô, Milton Omena Farias, um delegado aposentado da Polícia Federal, discutiram e o jovem acabou matando o avô com um golpe de faca.

Publicidade
Publicidade

De acordo com a magistrada, o réu ainda não tentou fugir, não destruiu provas, e também não ameaçou testemunhas, não dificultando o trabalho da justiça. Segundo ainda a juíza, por toda peculiaridade do caso, a liberdade provisória do jovem não implicaria em cometimento de novos delitos, por esse motivo não foi imputada a restrição da liberdade do rapaz.

O réu além de ter residência fixa, teve seu passaporte retido pela justiça, terá obrigação de se apresentar a justiça uma vez por mês, para informar as suas atividades e manter sempre seu endereço atualizado. Milton Neto ainda está proibido de estar fora da residência entre 22 horas ás 6 horas, mesmo em finais de semana e feriados.

O réu ainda está proibido de se ausentar da comarca em que reside, sem a prévia autorização da justiça, e frequentar determinados lugares como casas de show e bares.

Publicidade

O crime

O crime aconteceu na casa da vítima, na tarde do dia 27 de janeiro deste ano. Após uma discussão e troca de agressões entre o avô e seu neto. A Polícia Civil confirmou que o jovem assassinou o avô, e foi preso em flagrante no mesmo dia.

A residência da vítima há poucos meses já teria sido palco de outro crime, a filha do aposentado Milton Omega, foi encontrada morta com dois tiros na cabeça, Marcia Rodrigues Farias, de 48 anos, (mãe de Milton Neto), em agosto do ano passado.

Uma comissão de delegados em posse de laudos periciais, informou que a jornalista Márcia Rodrigues, teria cometido suicídio.

No dia 31 de janeiro a avó do réu e ex-mulher de Milton Omena, informou que teria sido casada com ele durante 47 anos. Maria do Carmo Rodrigues de Souza, relatou que o ex-marido era um homem extremamente violento. E que o neto teria matado o avô em legítima defesa, pois segundo ela a faca utilizada no crime foi utilizada pelo homem para atacar o neto: “Foi uma luta pela vida dele”, afirmou ela.

Maria do Carmo estava em companhia de dois advogados, tanto ela quanto eles, contestaram os laudos da perícia que apontaram o suicídio de sua filha, a jornalista Márcia Rodrigues. A ex-mulher do delegado aposentado da Polícia Federal, afirmou: “Meu ex-marido matou minha filha”. #Casos de polícia