O dia do nascimento da filha de uma moradora do estado de Pernambuco tinha tudo para ser só de felicidades, mas foi bastante tenso. Nesta segunda-feira, 6, Michel Santiago comemorou o fato de estar viva e olha que ela tem uma história e tanta para contar. Ela e sua filha, durante o parto, chegaram a "morrer" por dez minutos. Esse foi o tempo que os médicos não identificaram nenhum sinal vital na paciente. A situação é rara e aconteceu no dia 6 de janeiro. Um mês depois daquele dia tenso, Michele e a família comemoram um bem único, a vida. Ela contou com uma ajudinha especial nessa missão, a de sua mãe, avó da menina que nasceria mais tarde. A garotinha ganhou o nome de Maísa.

A mãe de Michele, vendo que o pré-parto da sua filha estava bastante complicado, decidiu orar.

Publicidade
Publicidade

Ela pedia que a filha não fosse embora e que a neta não falecesse naquele dia. "Quando eu vi a minha filha abrir os olhos, depois de ser dada como morta, eu só queria saber de agradeceu a Deus", disse a avó da criança bastante emocionada. E ela realmente tem que agradeceu ao sobrenatural e também aos médicos. Isso porque eles soaram e fizeram de tudo para salvar a vida das duas pacientes.

A equipe médica pernambucana fez um procedimento de emergência, a fim de salvar a criança, já acreditando que a mãe havia falecido. Maísa, no entanto, saiu da barriga da mãe e, assim como ela, parecia estar morta. A pressão da paciente havia caído e a mãe de Maísa sentia muita falta de ar. O desmaio que culminou na "morte" por dez minutos ocorreu após um vômito. Após isso, nada mais foi visto pela paciente.

Publicidade

Gláucius Nascimento, foi o obstetra que realizou o parto. Ele lembra aquele dia difícil e que a equipe agiu de maneira muita rápida. Isso porque a ideia era salvar as duas ou pelo menos apenas a criança.

Depois de muita luta, a criança começou a chorar e, incrivelmente, a mãe abriu os olhos. As duas não se desgrudam mais. A avó de Maísa agradeceu aos médicos e diz que ora todos os dias agradecendo o que chama de dádiva divina. #Religião #Saúde