Aconteceu nessa sexta-feira (17), um caso que, ao mesmo tempo, trouxe tristeza e felicidade para uma família de Rondonópolis, Mato Grosso. A equipe do SAMU atendeu a um chamado de emergência após a família de uma jovem grávida relatar que ela estava tendo convulsões. Infelizmente, antes mesmo de chegarem ao local, já se depararam com a jovem morta, todavia, em um #parto de emergência, a médica conseguiu salvar a criança com vida.

O nome da jovem que faleceu é Iolanda Pimentel, de 22 anos, e estava em sua primeira gravidez. A família dela conta que a jovem sofreu com um mal súbito. Eles relatam que Iolanda não apresentava nenhum problema grave de saúde, além de pressão alta, e que todo o período de sua gestação foi considerado normal.

Publicidade
Publicidade

Segundo informações, a jovem estava em sua residência quando começou a passar mal e caiu no chão. Assim que os familiares viram o estado da jovem, decidiram ligar para a emergência. A médica, Luciana Abreu Horta, que atendeu ao chamado, disse que antes mesmo de chegar à casa da jovem já recebeu outro chamado informando que Iolanda havia parado de respirar. Ela relata que, no momento em que chegou a casa, já encontrou a jovem com os sinais de morte. Nesse instante, ela disse que pediu permissão à família para tentar fazer um parto de emergência e, assim, tentar salvar o bebê.

Ela disse que, ao receber a autorização da família, levou a jovem para a ambulância e tentou reanimá-la. Constatada a morte da jovem, a médica já iniciou o procedimento de retirada da criança. Ela relata ainda que, devido ao estado da mãe, a criança já nasceu com parada cardiorrespiratória, todavia, após realizarem os procedimentos de emergência, conseguiram salvar a criança.

Publicidade

O parto foi realizado enquanto eles se dirigiam para a Santa Casa de Rondonópolis. A médica disse que quando chegou ao hospital a criança já estava com o quadro de saúde estabilizado. “Foi muito rápido e a pressão é muito grande. Foi emocionante tomar uma decisão dessa, perante a família, em uma situação de resgate. Foi iluminação de Deus”, disse a médica que é mãe de um menino de 4 anos.