Relacionamentos nem sempre são os mais felizes. Homens e mulheres, as vezes, passam do limite no quesito confiança e quando as coisas chegam ao ponto máximo, quase sempre, tem uma traição no meio. Um vídeo divulgado nessa semana mostra uma mulher frágil e magra dando uma surra na amante de seu companheiro. Com disposição, a mulher agride fortemente a "outra". Ela dá puxões de cabelo, tapas e até chega a jogar a adversária no chão. Não se sabe quando o conteúdo foi gravado, mas as imagens acabaram viralizando nas redes sociais. Apenas no Facebook, um dos vídeos tem mais de 50 mil visualizações, mostrando o potencial desse tipo de situação.

"Nossa, ela mulherzinha mereceu apanhar.

Publicidade
Publicidade

Se eu fosse essa casada batia ainda mais. Esse povo gosta de se meter com cara comprometido. Já passei por isso na minha vida. Eu não cheguei a bater na amante, mas dispensei meu namorado", disse uma mulher ao comentar o vídeo, mostrando que as traições são bastante comuns. Alguns desses casos, infelizmente, acabam em divórcio.

No vídeo que viralizou, a traição acabou foi em pancadaria mesmo. A esposa parece mais preocupada com a "outra" do que no marido, que a traiu. Essa é uma postura, infelizmente, bastante comum entre o público feminino, que acaba dando razão ao homem por supostamente não controlar o seu ímpeto sexual ao ver uma bela mulher. Em São Paulo, um caso em especial, recentemente, chamou a atenção. A mulher, ao ver a traidora na cama com seu ex decidiu deixá-la nua. A traidora foi obrigada a andar pelas ruas de um bairro paulista sem usar absolutamente nada.

Publicidade

O caso teve grande repercussão, pois foi bastante inusitado. A agressora disse que as "talaricas" iam aprender depois dessa, mas garantiu que se separaria do infiel, o que teria mesmo acontecido.

Veja abaixo o vídeo que mostra a mulher batendo na amante de seu companheiro. Na sua opinião, ela agiu certo ao tomar tal atitude? Deixe o seu comentário. Ele é sempre muito importante para todos nós e ajuda a construir o diálogo sobre temas relevantes à sociedade.

#Crime