Uma garotinha de apenas 4 anos de idade morreu nesta última quarta-feira (01) pelo simples fato de não ter escovado os dentes. O crime bárbaro aconteceu nos Estados Unidos e ganhou repercussão no mundo inteiro. A #criança ainda chegou a ser levada para um hospital de Maryland, vindo a resistir por cinco dias, mas depois faleceu.

Iris Hernandez Rivas, 20 anos, agrediu tanto a filha que a criança não aguentou. A mulher foi presa e confessou na polícia que bateu na menina como forma de punição porque ela não escovou os dentes.

Nohely, de 4 anos, foi espancada e ao levar um chute na barrica acabou caindo e bateu a cabeça no chão.

Publicidade
Publicidade

A menina chegou ao hospital inconsciente e os médicos logo acionaram a polícia, pois viram que o caso era grave e a criança tinha sinais de espancamento por todo o corpo.

Quem ligou para a emergência foi a própria mãe que ficou desesperada ao ver a filha inconsciente. Quando questionada sobre o que tinha acontecido com a criança, Iris disse que encontrou a filha no banheiro, já desacordada e não sabia o que tinha acontecido. Quando os médicos começaram a atender a menina, logo notaram os sinais de agressão e chamaram a polícia para investigar o caso, pois perceberam que a mulher não estava falando a verdade.

A mãe só foi contar a verdade quando chegou à delegacia. Para os policiais ela contou como agrediu a menina, o chute que deu na barriga dela e que ela teria ficado inconsciente por ter batido a cabeça no chão devido a queda.

Publicidade

Foi então que a mulher foi uma revelação ainda mais cruel. Ela disse que a filha levantou, quase sem forças, caminhou até o banheiro e chegando lá, desfaleceu.

Dias antes a mulher já teria dado uma surra de cinto na filha e a polícia agora investiga se a criança apanhou outras vezes e se os familiares estavam sabendo dessa crueldade ou não.

A americana foi acusada de homicídio e continua presa à disposição da Justiça dos Estados Unidos. O exame da autopsia da menina ainda poderá fazer com que a acusação contra a mãe seja ainda mais grave. #Violência #Morte