A cena bizarra de um espancamento brutal, na cidade de Novo Aripuanã (Amazonas), onde cerca de 500 pessoas invadiram a delegacia do município e retiraram uma mulher de dentro da cela, suspeita de matar um garoto de dois anos em um incêndio premeditado, repercute na imprensa internacional.

Após centenas de indivíduos identificarem a suspeita de 30 anos (nome não revelado), na terça-feira (7), depois de vandalizarem a delegacia, destruindo materiais e danificando as celas, a mulher foi arrastada pelos cabelos até a rua, onde começou a ser violentamente agredida.

Contudo, a fúria da multidão ensandecida ainda se voltou para os veículos estacionados no local.

Publicidade
Publicidade

Eles foram depredados e incendiados.

Sem conseguir resguardar a integridade física da suspeita, policiais civis solicitaram apoio dos bombeiros e da Polícia Militar, enquanto a amazonense era violentamente espancada e queimada no fogo dos automóveis.

Presa na segunda-feira (6), a vítima de linchamento foi capturada sob acusação de incendiar uma residência com sete pessoas dentro, entre elas, três crianças.

Conforme o portal de notícias G1, um outro menor que também estava na casa, de cinco anos de idade, sofreu queimaduras, mas sobreviveu e está em tratamento hospitalar.

Entretanto, antes da conclusão do interrogatório, a suposta assassina foi interceptada pela multidão e agredida quase até a morte. Até aquele momento, ela não havia admitido o #Crime.

De acordo com a Polícia Civil, ela foi encaminhada ao hospital para receber tratamento.

Publicidade

Quando estiver recuperada, será devolvida a uma nova delegacia e mantida em sigilo, para evitar represálias da população.

Até o momento, autoridades não divulgaram o motivo do crime. Também não há informações sobre possíveis punições às centenas de pessoas envolvidas na agressão praticada em frente à delegacia, nem se elas serão responsabilizadas pelos danos materiais.

Tudo indica que o ato praticado pelos agressores não teve como razão a revolta moral de uma criança ser morta por um incêndio criminoso.

Ao que parece, a brutalidade foi motivada pelo fato de indivíduos violentos encontrarem uma brecha para expor uma vontade reprimida: a de matar.

No entanto, ao contrário da criminosa, eles não serão punidos.

Abaixo, veja o vídeo do espancamento (imagens fortes).

#Mídia #Curiosidades