A batalha travada nas ruas do país entre taxistas e motoristas de Uber segue gerando muita confusão e violência por conta da disputa de passageiros.

Vem da Rodoviária de Teresina, no Piauí, mais um exemplo desta discórdia. Desta vez uma mulher que atua como integrante do sistema Uber foi intimidada, xingada e quase agredida fisicamente.

Toda a confusão, registrada na noite da última quinta-feira (9), foi capturada em vídeo por ela e por outras testemunhas.

A coação começou com vários taxistas cercando seu carro perto do Terminal Rodoviário de Teresina Lucídio Portela. Depois um taxista de blusa vermelha veio caminhando em sua direção para tirar satisfações.

Publicidade
Publicidade

Ele fala que ali ela não vai pegar passageiro algum.

A moça não se intimidou e disse que estava a serviço do Uber e que continuaria no local. E ainda avisou: “Venha, faça alguma coisa comigo, toque no meu carro pra você ver”.

Como respostas ouvem-se gritos masculinos de “vagabunda”.

Em outro enquadramento, desta vez gravado por um terceiro, o bate boca já aparece cercado de gente. Um taxista a chama de cachorra e ela revida: “Me bate! Cachorro é você”.

Indignada, a mulher dá uma cusparada em direção ao homem que a estava insultando. É o mesmo cidadão de camisa vermelha. Ele se revolta e quase parte para a briga. Ouvem-se vários gritos de vagabunda, bandida e sapatona.

A Polícia Militar chega, mas os ânimos continuam bastante exaltados.

A motorista acaba indo embora, porém, em seu perfil no Facebook publicou um texto sobre o ocorrido, ressaltando que os taxistas a ameaçaram e disseram saber onde ela mora.

Publicidade

A condutora ainda relatou que foi até a delegacia para fazer boletim de ocorrência na esperança de que a situação não fique impune.

Lembrou que foi cercada por mais de 20 homens, que a ofenderam e ameaçaram de todas as formas (inclusive de estupro) apenas por ela querer trabalhar. Na mesma postagem reforçou seu repúdio e registrou profunda tristeza diante daqueles que não respeitam ninguém e muito menos as mulheres.

Assista:

#Crime #Casos de polícia