Uma polêmica toma conta das redes sociais desde o mês de janeiro. Afinal, o mundo vai ou não acabar? O número de notícias em torno do assunto foi tão grande que nesta quarta-feira, 15, o site da Revista Veja fez uma ampla reportagem sobre o tema. Até mesmo autoridades brasileiras decidiram falar sobre uma polêmica matéria publicada pelo tabloide britânico 'Daily Mail'. Nela, o astrônomo russo Dyomin Damir Zakharovich falava sobre um asteroide de um quilômetro que está a cair na terra. O seu impacto, de acordo com ele, seria tão devastador, que exterminaria a humanidade. O fim do #Mundo ou notícias de que isso seria possível

A Sociedade Astronômica Brasileira, a SAB, decidiu transmitir uma nota oficial sobre o assunto e garante: o mundo que conhecemos não vai acabar, pelo menos não nesta quinta-feira, 15, data dado pelo cientista polêmico para o grande apocalipse.

Publicidade
Publicidade

De acordo com a entidade de cientistas do Brasil, a previsão astronômica feita pelo cientista russo não tem o menor sentido científico. Ele dizia que o asteroide 2016 WF9 cairia amanhã no país. O cientista chega até a contestar a toda poderosa Agência Nacional Especial dos Estados Unidos, a Nasa, falando que ela apenas está escondendo as verdade de todos nós humanos.

A SAB diz que o asteroide que o russo diz ser monstruoso, na verdade, pode ser um comete e que nem teria cauda. Além disso, o ponto mais próximo que ele deve passar da terra não é amanhã, mas sim no dia 25 de fevereiro. Para completar, a distância da pedra gigante do nosso planeta seria de 51 milhões de quilômetros. Esse é um terço da distância entre a terra e o sol. A distância é tão longa que o possível asteroide não representa nenhuma ameaça.

Publicidade

Mesmo que representa-se, existem programas que podem acabar ou pelo menos minimizar o impacto de um grande asteroide na terra. É exatamente por esse e outros motivos que existem agências espaciais.

O objeto foi descoberto em 27 de novembro de 2016. Ele teria um quilômetro de diâmetro. E aí, ficou assustado? Comente! #Ciência