Um agente da Marinha Britânica foi considerado inocente, mesmo tendo violentado uma mulher enquanto dormia alcoolizada. O julgamento de Callum Fennel, de 25 anos, teve duração de 30 minutos. Ele foi inocentado das acusações de estupro e abuso sexual.

Fennel que é marinheiro de Portsmouth, no sul da Inglaterra, durante o julgamento relatou como tudo aconteceu e chegou até a chorar diante de todos na corte. Ele contou que ao manter relações sexuais com a mulher durante a madrugada, acreditava que ela estivesse acordada e consentido o ato sexual.

Na ocasião em que aconteceu o estupro, o réu trocou mensagens de celular com a vítima, nelas ele se descreveu sendo: “vil e repudiante”, no mesmo período ele também enviou mensagens a sua mãe, e ao relatar o assunto com sua genitora ele disse: "transei com ela ontem quando não deveria ter transado”.

Publicidade
Publicidade

Mesmo em posse destas mensagens, a corte Britânica inocentou o marinheiro, ele foi liberado e poderá continuar exercendo seu cargo dentro das forças armadas.

Durante o julgamento, o réu contou que só começou a ter dúvidas que tinha mantido relações sexuais com a vítima sem o seu consentimento, quando a mãe da jovem ligou para ele o ameaçando, por ele ter mantido relações sexuais com sua filha com ela bêbada e inconsciente.

Em seu depoimento ele declarou que do ponto de vista dele, a mulher estava acordada e disposta a fazer o que eles dois estavam fazendo. Ele deu detalhes do que aconteceu naquela madrugada. Ele afirmou que ao tocá-la, seu corpo respondia aos estímulos dados por ele, e percebeu que ela queria um pouco mais, e começou a tocá-la entre as cochas. E acreditou que ela estava gostando, pois emitia sons de prazer.

Publicidade

Após detalhar os fatos, o juiz questionou o marinheiro se ele sabia que a vítima não havia consentido o ato sexual, Fennel imediatamente respondeu que “não”. Pois havia ficado confuso diante das circunstâncias, e sem saber como agir, ao surgir à dúvida sobre o real estado de consciência da jovem.

O comandante da Marinha declarou em seu depoimento, que o jovem marinheiro possuía um comportamento exemplar nas forças armadas, apesar de ser declaro viciado em sexo. Fennel foi flagrado vendo pornografias e passou por acompanhamento de um grupo de apoio aos viciados em sexo, no ano passado.

Apesar da repercussão do caso Fennel poderá exercer novamente seu cargo na Marinha Britânica. #Crime #Investigação Criminal