O caso aconteceu dentro da unidade de saúde USF Aristides Pereira Maltez, que fica localizada no bairro de São Cristóvão, na cidade de Salvador, capital da Bahia. A criança foi flagrada por um paciente ao lado de uma enfermeira. A menina estava de jaleco ajudando a enfermeira e manuseando utensílios do posto.

O paciente da unidade ficou perplexo com o fato e resolveu registra a situação, tirando uma foto e também gravando uma conversa que teve com a mulher que estaria ao lado da criança.

Na imagem da para ver claramente a menina vestida com o jaleco, e manipulando seringas ao lado de uma enfermeira dentro da unidade. A garota aparece na imagem no setor de vacinas do posto de saúde.

Publicidade
Publicidade

O paciente que preferiu não se identificar, ainda gravou uma conversa com a enfermeira que estava ao lado da criança. Ao ser questionada pelo homem que gravou e outro paciente também que achou absurda a situação, a enfermeira tentou negar que a criança estaria trabalhando, ou fazendo qualquer atividade dentro do posto. O paciente então diz à funcionária que além de ter visto a criança em atividade, ele teria registrado o momento.

A funcionária então percebeu que teria sido flagrada, admitiu que a menina era sobrinha dela, e que por não ter com quem deixar levou a criança para o trabalho. Os pacientes ainda insistiram no fato dela colocar dentro da sala de vacinas, e deixa-la manusear seringas. A enfermeira se justifica dizendo: “Eu não tinha com quem deixar, você queria que eu fizesse o que?” Argumentou a funcionária do posto de saúde.

Publicidade

O paciente resolveu entregar às imagens a imprensa para denunciar o caso. A Secretaria de Saúde foi comunicada da situação, e divulgou uma nota lamentando o ocorrido, afirmado que duas funcionária responsáveis pela sala de vacinas da unidade de saúde foram identificadas, advertidas e afastadas do setor. As duas terão que responder a processo administrativo. Após conclusão de todo trabalho, a Secretaria de Saúde informou que o resultado será devidamente divulgado.

Outro caso parecido já havia acontecido no dia 3 de Janeiro, em outra unidade de saúde em Salvador. Uma criança foi flagrada utilizando um computador do Posto Mário Andréa. Na ocasião a secretária da unidade de saúde justificou informando que a menina seria filha de uma funcionária, que estaria de férias da escola e acabou acompanhando a mãe ao trabalho.

Confira abaixo o vídeo gravado pelo paciente:

#Crime #Investigação Criminal