Mais um crime chocou o Brasil. Uma garota de 12 anos era abusada sexualmente por seu padrasto no balneário de Caldas Novas, no sul de #Goiás. Os dois suspeitos, o padrasto e um amigo dele, um personal trainer foram presos e a polícia promoveu o interrogatório. Segundo o delegado Fernando Barbosa Martins, que cuida do caso, o padrasto não pronunciou uma palavra sequer sobre o crime. Já o amigo negou que participasse dos abusos e apenas emprestava o apartamento para que o os abusos acontecessem.

Ainda segundo o delegado, ele, o personal, disse que apenas emprestou as chaves de seu apartamento no centro da cidade e foi embora.

Publicidade
Publicidade

Porém, ele sabia que o homem mantinha relações com a garota e ainda alertou que era errado. Segundo o personal, o padrasto afirmou que já tinha relacionamento com a garota há muito tempo (há dois anos, conforme apurou a investigação) e que ninguém descobriria. A oitiva ocorreu nesta quarta-feira, 15.

O delegado acredita que o depoimento é falso com intuito de se inocentar do caso, segundo apurou o G1. Os suspeitos serão interrogados novamente na segunda-feira (20).

O crime de abuso e os áudios suspeitos

Quem descobriu os abusos foi o pai da garota. Ela tirou férias escolares e foi para sua casa em Nova Crixás, cidade próxima a Caldas Novas. Num determinado dia, o pai ouviu um áudio mandando pelo WhatsApp do padrasto para a filha. Segundo as investigações, tratava-se do suspeito pedido fotos do tipo "nudes" para a adolescente.

Publicidade

O pai se revoltou com a situação e foi tirar satisfação com o atual companheiro de sua ex-mulher, mas foi ameaçado de morte pelo homem.

Também alertou sua ex-esposa do que estava acontecendo. A mulher passou a ser ameaçada pelo companheiro e também fugiu de Caldas, mudando-se temporariamente para Nova Crixás, para ficar perto da filha.

O suspeito foi preso quando deslocava-se para a cidade onde estavam a garota e a mãe no intuito, segundo a polícia, de cometer outro crime. Ele pretendia matar as duas, mãe e filha.

Ouça os áudios que o suspeito enviava à vítima.

Laudos

Além dos depoimentos, a polícia já tem um laudo feito por psicólogos forenses obtidos da vítima. O documento comprova os abusos. Segundo o delegado que pediu o exame, o laudo comprovou uso de linguagem e conduta incompatíveis a idade dela.

Também foi feito exame no IML que comprovou que a menina não era mais virgem.

Chantagem

O delegado apurou também que a participação do personal nos abusos é envolta a outro crime. Num determinado dia, o amigo viu o padrasto abusando da garota e ameaçou contar para a polícia, caso não aliciasse a garota para ele também.

Denúncia

O indiciamento do padrasto será por #Estupro de vulnerável, mediação para lasciva de outrem e aliciamento de menor. O personal será por aliciamento e estupro.

A pena pode chegar a 20 anos de reclusão. #Pedofilia