Um homem foi preso pela polícia acusado de assassinato, na segunda-feira (6), na cidade de São Raimundo das Mangabeiras, no Maranhão. O acusado de ter cometido o #Crime foi identificado como Wellison Sousa da Silva, de 20 anos. Para as autoridades, ele é o principal suspeito de ter espancado a vítima até a morte. A vítima foi identificada pela polícia como Ana Beatriz de Oliveira, de apenas um ano e cinco meses, que é enteada do acusado.

Conforme informações da polícia, segundo o acusado, ele estava só com a criança em sua residência, localizada no bairro São José. Segundo ele, a criança estava brincando, e, em determinado momento, ela sofreu uma queda.

Publicidade
Publicidade

De imediato, o Serviço de Atendimento Móvel (SAMU) foi acionado pelo suspeito, relatando que a sua enteada tinha sofrido uma queda.

Diante da situação, uma equipe de socorristas se deslocou até o local informado. A vítima recebeu os primeiros atendimento e foi encaminhada para a unidade médica da cidade. Devido a gravidade dos ferimentos, a garotinha não resistiu e acabou morrendo. Ao ser examinada pelos médicos, foi constatado que a garotinha apresentava sinais de espancamento. Seu corpo tinha vários hematomas, arranhões e lesões, que não batia com a versão dada pelo acusado.

Diante dos fatos, os profissionais da saúde acionaram a polícia para comparecer ao hospital. O homem foi preso e encaminhado para a delegacia para presta o seu depoimento ao delegado plantonista. Conforme consta em seu depoimento, ele nega todas as acusações e afirma que as lesões que a vítima apresentava era devido a uma queda de cima de uma cama.

Publicidade

Conforme informações do delegado Perikles Lima, da Polícia Civil de São Raimundo das Mangabeiras, que está à frente das investigações, a polícia está aguardando a conclusão dos exames feitos no corpo de Ana Beatriz, que deve confirmar ou não a violência praticada pelo suspeito. Ainda de acordo com o delegado, o acusado já entrou em contradições várias vezes. O homem está preso e ficará à disposição da Justiça. Um inquérito foi instaurado e o caso segue sendo investigado. #Investigação Criminal #Casos de polícia