A chegada de um filho é mesmo um momento muito marcante e as comemorações de todo o tipo são mais do que compreensíveis. Mas, o que dizer de um casal que celebrou o primeiro filho munido de um cigarro de maconha em plena maternidade?

A imagem desse momento inusitado foi inclusive compartilhada pelo pai da criança, morador de Santos, no Litoral de São Paulo. O jovem rapaz postou no Facebook a foto com a droga na mão, ao lado do leito hospitalar em que se encontrava a futura mamãe, acompanhada do seguinte texto “aki no hospital só esperando a chegada do meu primeiro filho pra fuma aquele de comemoração (sic)”.

Nem é preciso dizer que a foto se espalhou e o caso já virou polêmica na cidade, entre os que condenam a atitude e aqueles que não veem nada demais na cena.

Publicidade
Publicidade

Os registros dos momentos polêmicos que antecederam a chegada do bebê ocorreram na maternidade do Hospital dos Estivadores, equipamento recém-inaugurado. Não há fotos, porém, do momento posterior ao nascimento. Portanto, não é possível saber se o rapaz de fato fumou a droga no local.

Diante da repercussão, a história foi parar na polícia. Indignada com a ousadia do acompanhante, uma profissional do hospital decidiu registrar um Boletim de Ocorrência contra o rapaz. Diante da denúncia, investigadores da equipe do 4º DP de Santos já iniciaram os trabalhos de apuração.

À imprensa local o Hospital dos Estivadores afirmou, por meio de comunicado oficial, que tomou todas as medidas cabíveis para coibir o consumo do entorpecentes dentro do estabelecimento e para garantir a segurança dos demais pacientes e acompanhantes.

Publicidade

A equipe também disse que esteve em contato com a vigilância do hospital para orientar os profissionais de modo que episódios assim não mais ocorram.

Já o garoto que fez a postagem, assustado com a polêmica gerada em torno da imagem, excluiu de seu perfil o material. Quando foi publicada a foto, o status estava como “público” no Facebook. Na sequência, ele escreveu, em resposta aos que lhe julgaram, que não deve nada para os outros.

#Crime #Casos de polícia