Pai é acusado de matar a filha com um tiro na cabeça, na noite desta sexta-feira, 10, na Zona Sul de São Paulo. A motivação do #Crime seria a #herança deixada pela mãe da vítima Maira Cintra Soares, de 40 anos.

Frederico Carneiro Soares, o pai da vítima assassinada se encaminhou até a casa de sua filha para revindicar os direitos na herança. Era por volta de 21h. Os dois começaram a discutir.

Durante a discussão, o pai sacou uma arma, segundo a polícia, e fez um disparo contra a cabeça da filha. Os três netos do agressor assistiram a cena de perto. O SAMU foi acionado, mas infelizmente Maira morreu ali mesmo no local.

O assassino fugiu com sua atual mulher após o crime e até a manhã deste sábado,11, não havia sido localizado.

Publicidade
Publicidade

A vítima já tinha relatado em um vídeo numa rede social há cerca de 06 meses as desavenças com o pai. O motivo seria a casa deixada pela mãe de Maira, que estaria avaliada em R$200 mil. Maira hoje mora na casa deixada pela mãe e revindicada pelo pai.

Sua mãe morreu quando ela tinha 8 anos de idade e desde então, el se diz mau tratada pelo pai. Foi colocada em colégio interno no interior de São Paulo, junto com seu irmão.

Maira julgava que o pai não tinha direito na herança, pois quando a mãe morreu os dois já estavam separados, aguardando a papelada do divórcio. Segundo Maira, o pai pegou os filhos para criar desde a morte, apenas com o intuito de herdar mais bens.

Devido a todo o relato de maus tratos, o irmão de Maira aos 16 anos teve que sair do colégio interno e ser encaminhado a um hospital psiquiátrico.

Publicidade

Hoje o homem mora com a irmã, também na casa fruto da discórdia.

A vítima ainda afirmava que o pai recebia pensão da mãe e além disso, tinha uma obsessão por conseguir também a casa. "Sempre tentava expulsar a gente daqui" disse ela. E continua "chegou a colocar um segurança em frente da casa para nos expulsar dizendo que éramos indigentes ocupando a casa". E finaliza dizendo que não conseguiu, pois ficou provado que nós éramos os herdeiros do bem.

O caso deu entrada na 89º Delegacia de Polícia. O suspeito não foi localizado para dar sua versão ao G1.

#homicídio