Um trabalhador, de 31 anos, foi apreendido por volta das 9 horas da manhã nesta quinta-feira (16), no bairro Petrópolis na zona sul de Manaus, por violentar sua filha e engravidá-la. O homem afirmou em uma entrevista que estuprou a adolescente porque ela sempre o procurava para preservar suas relações sexuais com ele.

Segundo Juliana Tuma (delegada), a polícia encontrou o criminoso por acusações anônimas do Conselho Tutelar da Zona Sul que disseram que a garota estava sendo abusada há anos. De acordo com a delegada, a denunciação foi guardada na Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), no bairro Planalto da zona centro-oeste de Manaus nesta terça-feira (14).

Publicidade
Publicidade

A delegada afirmou ainda, que no dia da acusação um grupo de investigação do 3° Distrito Integrado de Polícia (DIP) havia ido até o local, onde comprovaram as informações repassadas. No local foram encontrados a vítima, e mais três crianças, de 1, 4 e 7 anos, e uma adolescente, com 13 de idade, pela polícia.

Segundo a delegada a vítima omitiu que o pai abusava dela por medo da reação do seu agressor, mas constataram que a barriga da garota estava saliente e descobriram que a adolescente estava grávida de 5 meses do estuprador. Em depoimento, a garota confirmou que ele a violentava e a torturava, ela relatou ainda, que sua ex madrasta, de apenas 24 anos, assistiu um dos abusos contra ela e foi embora de casa. A vítima falou para a polícia também que foi estuprada desde os 12 anos de idade pelo agressor.

Publicidade

Na Delegacia Geral (DG), o criminoso afirmou o crime e informou que realizava os abusos só quando estava bêbado ou sob efeito de pasta base de cocaína, revelou ainda que os estupros aconteciam sempre no seu quarto e que nunca tinha agredido sua filha quando estava sóbrio. O homem afirmou que está arrependido dos estupros e que não quer ir para a cadeia porque tem medo de morrer no sistema penitenciário.

O acusado foi indiciado por estupro de vulnerável por meio de um mandado de prisão do Plantão Criminal da Justiça e irá ser direcionado para o Centro de Detenção Provisório Masculino (CDPM). #Abuso Sexual #Investigação Criminal