O #Hospital Geral de Linhares, no Espírito Santo, foi alvo de grande tumulto na madrugada desta quarta-feira (08). Já não bastasse o caos vivido pelo Estado com a falta de segurança, em decorrência da paralisação da Polícia, os funcionários de um hospital passaram momentos de grande terror.

Publicidade

Os familiares de um jovem, que foi eletrocutado e estava em estado gravíssimo, recorreram ao hospital, na noite de terça-feira (07). Como a Unidade Tratamento Intensivo (UTI) do hospital estava lotada, eles tentaram tirar o rapaz à força para levá-lo numa outra unidade.

Seguindo as regras, os médicos e enfermeiros não deixaram que isso acontecesse, pois o rapaz poderia morrer no caminho. A família ficou revoltada e ao saberem da morte do rapaz, resolveram quebrar a entrada principal da unidade.

Tiros para o alto

Guardas municipais foram chamados para intervir. Segundo o delegado Walter Barcelos, os guardas civis tiveram que dar tiros para o alto, a fim de dispersar o grupo. Os médicos e enfermeiros estavam em pânico com a agressividade dos familiares e se esconderam em um área do hospital, até chegar ajuda. Pacientes que aguardavam atendimento saíram correndo, desistindo de suas consultas.

Na delegacia, os médicos relataram os momentos de tensão que passaram, naquela madrugada. "Estávamos perdidos sem poder ao menos chamar a polícia, que paralisou as atividades", disse um deles.

Rapaz eletrocutado

Os parentes de Renan Marcolino pediram a uma funcionária do hospital o prontuário do paciente. Eles queriam ver como estava o quadro de saúde do rapaz. a mulher disse que não poderia entregar o prontuário, devido as regras da unidade. Todos da família se revoltaram.

Ao saberem da morte de Marcolino, que não resistiu aos ferimentos, a pancadaria começou. Segundo uma das funcionárias, alguém fez disparos para o alto, ela não sabe informar se foi a guarda civil ou se um dos parentes do rapaz estava armado.

O hospital amanheceu com as portas fechadas, e agora, está atendendo apenas os casos de urgência e emergência. #panico #Espirito Santo