Morador de São Bernardo do Campo, na região do ABC Paulista, Fabio Telles é policial militar e #Pastor de uma igreja evangélica. Com quase 10 mil seguidores no Facebook, ele causa #Polêmica com opiniões firmes e contundentes. Na terça-feira (21), ele postou um vídeo comentando sobre o seu pastorado e sua profissão.

“O que Deus fala sobre ladrão e sobre criminoso... Abra a sua Bíblia no livro de João, capítulo 10, versículo 10. ‘O ladrão não vem se não a roubar, a matar, e a destruir’. E aí Jesus fala: ‘eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância’”, diz o pastor. Na sequência, ele lê passagens do antigo testamento para justificar que ao matar um bandido no exercício de sua profissão não pode ser condenado por Deus por isso, já que está agindo como autoridade na terra.

Publicidade
Publicidade

Veja o vídeo completo abaixo.

Nesta outra postagem, Fabio Telles publica o vídeo de um adolescente que não se arrepende dos crimes que cometeu.

“1° Homicida Infantil declarado; 2° Não se arrepende do que fez e do que quer fazer; 3° Ele diz que as leis para menores são uma maravilha, porque não deixam ninguém preso. A palavra de Deus vai falar para nos arrependermos de nossos pecados e seremos perdoados, mas se não tiver, o inferno o aguarda. Então que seja, não tenho pena alguma de vagabundo como esse”, afirmou o pastor e policial militar.

O policial também dá dicas de como se comportar no dia a dia para evitar a ação de criminosos. Nesta postagem, ela afirma que a despedida de visitas deve ser feita dentro de casa e não na rua.

Essa é mais uma postagem polêmica do pastor policial. “Quando Deus fala que vai fazer, ele faz, se ninguém atrapalhar, ele faz tranquilo, mas se alguém tentar impedir, ele passa por cima, mata e destrói, mas o que Deus falou que vai fazer na sua vida, ele vai fazer”, postou.

Publicidade

Para terminar, em seu canal no Youtube, o pastor e policial militar Fabio Telles opina sobre a legalização da maconha. “Pra que liberar uma coisa que causa morte?”, opinou Telles. “Isso é um absurdo”, afirmou. "Põe o joelho no chão e ora a Deus porque é só Deus por nós", conclui o pastor.

#Casos de polícia