Nesta quarta-feira, 14, um vídeo começou a ser divulgado nas redes sociais e está provocando grande polêmica na internet. As imagens mostram o que seria um Major do batalhão de São Gonçalo. O policial é identificado como Ramos. Ele teria se irritado com uma mulher que não o deixava trabalhar. As mulheres estão desde a semana passada na frente de vários batalhões pedindo aumento salarial para seus maridos. Elas começaram a fazer a ação pouco depois da greve da polícia militar do Espírito Santo Por lá, os agentes da lei chegaram a ficar sem trabalhar por mais de uma semana. Muitos foram indiciados pela justiça

A gravata dada pelo major aconteceu em frente ao batalhão.

Publicidade
Publicidade

Isso porque o PM deu voz de prisão na mulher e ela teria resistido entrar no camburão. Com isso, o agente da lei não pensou duas vezes e agarrando a mulher pelo pescoço a jogou dentro do camburão. Além da mulher vista no vídeo, que está ao fim dessa reportagem, outras duas também teriam sido levadas pelos agentes da lei. O agente da lei alegou que o grupo estava atrapalhando a entrada e saída de policiais do batalhão.

No vídeo é possível perceber o desespero das mulheres quando o major Ramos toma a atitude contra a mulher filmada. Outra que está gravando as imagens também é levada. Por alguns segundos, ela chega a gravar tudo de dentro do camburão. Na internet, ela denunciou o episódio.

"Manifestante é quem expressa sua opinião publicamente. Essa mulher estava impedindo um servidor público de realizar seu trabalho.

Publicidade

Tem que ser presa. Se resistir à prisão, tem que ser arrastada, infelizmente", disse um internauta ao comentar a publicação.

Veja abaixo o vídeo que mostra a mulher sendo agredida no meio da rua pelo policial militar. Atenção, as imagens podem ser consideradas fortes por algumas pessoas. Por isso, deixamos sempre o alerta. O que você achou da atitude do policial? Ele realmente deveria ter tomado a atitude? Não esqueça de deixar o seu comentário. A sua opinião é sempre muito importante para todos nós.

#Crime