A Polícia Militar do Rio de Janeiro, do 8º e também do 29º Batalhão, colocou vários oficiais para fazerem a cobertura de uma extensa área na divisa com o Espírito Santo. A intenção é formar um grande cinturão de segurança para evitar que criminosos do estado vizinho comecem a ir para o Rio. Desde o começo da semana que a PMRJ está fazendo essa operação e com isso tem conseguido manter a paz e a ordem nessa região.

Esse cinturão da Polícia Militar está focado principalmente nas regiões que pertencem às seguintes cidades: São Francisco de Itabapoana, Campos dos Goytacazes e Varre-sai. De acordo com o tenente-coronel Fabiano Santos, do 8º Batalhão, não há prazo para que a operação termine, pois enquanto a situação no Espírito Santos não for resolvida, os policiais continuarão fazendo esse serviço de prevenção.

Publicidade
Publicidade

O comandante do 6º CPA - Comando do Policiamento de Área, informou que está empenhado em proporcionar maior segurança à população dessas cidades que estão muito assustados com a #Violência que vem ocorrendo tão próximo a eles. São sete dias de caos no Espírito Santo e a PM do Rio de Janeiro teme que os bandidos comecem a migrar para o estado.

E enquanto no Rio a PM tenta prevenir a violência, no Espírito Santo os familiares de PMs continuam bloqueando a porta dos batalhões para que os policiais não possam sair. As famílias querem reajuste salarial para os policiais que são proibidos de fazerem greve. O governo já avisou que no momento não existe a menor possibilidade de atender a essa solicitação e alega que vem sendo chantageado pelo movimento.

Na última quarta-feira, dia 8, foi realizada uma reunião entre os manifestantes com o governo do Espírito Santo, mas eles não chegaram a um acordo e o movimento continua.

Publicidade

Enquanto isso, no Rio de Janeiro, as operações ostensivas visam barrar os criminosos que possam tentar entrar no estado e o Serviço de Inteligência está trabalhando todo o tempo para detectar com antecedência, grupos de bandidos que estejam planejando atacar cidades na fronteira dos dois estados. #Espirito Santo #Casos de polícia