O ministro do Superior Tribunal de Federal, Marco Aurélio Mello, beneficiou Bruno com um alvará de soltura nesta sexta-feira, 24, véspera de Carnaval. O goleiro havia sido condenado a 22 anos e 3 meses de prisão em 2013, pena referente ao assassinato de Eliza Samudio, ocultação de cadáver e também pelo sequestro do filho Bruninho.

O goleiro passou apenas seis anos preso e deixou, na noite de sexta-feira, 24, a Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (APAC). Às vésperas do Carnaval, a defesa temia que o goleiro não fosse #solto ainda na sexta, pois o #STF cometeu um erro e encaminhou o alvará de soltura para a comarca de Contagem e não do município de Santa Luzia, Belo Horizonte.

Publicidade
Publicidade

Assim que o #Goleiro Bruno deixou a APAC, uma legião de jornalistas esperava-o do lado de fora para o melhor clique. O jogador que já atraiu multidões de fãs, hoje só atrai curiosos e a imprensa.

Bruno deixou o local pela entrada principal, mas saiu sem falar com a imprensa. Já havia um carro o aguardando. Seu advogado, Lúcio Adolfo, garantiu que Bruno estava muito feliz e chegou a chorar quando soube da decisão.

O ministro Marco Auréilo Mello disse, em nota, que mesmo não sendo uma decisão "politicamente correta", o STF tem que cumprir as leis. Ainda, segundo o ministro, por Bruno ser réu primário e ainda ter direito de recorrer da sentença, a prisão temporária por tanto tempo não se justifica. Além disso, ele tem contrato lícito de trabalho e tinha bom comportamento na cadeia.

Contrato ativo com o Montes Claros

O goleiro Bruno já tem um contrato de trabalho.

Publicidade

Segundo o presidente do Montes Claros (MG), o jogador tem contrato com o clube até 27 de fevereiro de 2019. O contrato está vigente segundo registro na CBF.

Entretanto, se Bruno quiser treinar no clube, não terá sucesso. O Montes Claros, segundo o presidente Ville Mocellin, está de portas fechadas desde 2015 por dificuldades financeiras. Mas o presidente garante: quem quiser contar com o goleiro Bruno tem que negociar com o Montes Claros antes.

Ville Mocellin também é empresário de jogadores e se diz feliz com a soltura de Bruno, já que, em sua visão, ele não merecia o que aconteceu.