Um homem de 52 anos foi preso por policiais da 58ª DP no Rio. Ele está sendo acusado de abusar sexualmente de um bebê de apenas sete meses. A criança é neta do acusado e deu entrada no hospital Geral de Nova Iguaçu na noite de quarta-feira (15), onde, em seguida, veio a óbito.

Um laudo pericial afirma que a criança teve rompimento e ferimentos na região anal. A unidade médica imediatamente comunicou o fato ao delegado, logo após a morte da criança. Os investigadores chamaram os familiares da criança para serem ouvidos. O delegado titular da 58ª DP, Adriano Firmo França, afirma que, ao ouvir a mãe da bebê, o caso começou a ser desvendado.

Publicidade
Publicidade

Em depoimento, a mulher conta que já tinha sido #abusada pelo o pai quando ela tinha apenas 12 anos.

Logo após os depoimentos dos familiares da vítima, os policiais foram até a casa do suspeito, no bairro Rancho Novo, e conduziram o avô até a delegacia para prestar depoimentos. De acordo com delegado, o homem confessou que tinha abusado da filha quando ela era criança, mas não assumiu ter abusado da neta.

De acordo com o depoimento do avô, ele realmente estava com a neta na hora do abuso, e, de acordo com responsável pela as investigações, somado o histórico de abusos que o homem tem, aliado ao laudo do hospital e o depoimento dos familiares, os policiais juntaram os indícios suficientes para que o homem seja o principal suspeito de ter abusado da criança. O delegado não teve dúvidas sobre a participação do acusado e ele foi atuado em flagrante por estupro de vulnerável, resultando em morte.

Publicidade

Falando aos policiais, o acusado disse que, ao ver a filha mantendo relações sexuais com seu namorado, ficava excitado, e, assim, abusava da garota que, na época dos abusos, tinha somente 12 anos. A polícia civil informou, por meio de uma nota, que as lesões sofridas pelo estupro não foram a causa da morte do bebê. Segundo informações, a morte foi em decorrência de um quadro de pneumonia.

No Brasil, segundo levantamento do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, uma pessoa é estuprada a cada 11 minutos. Um número estarrecedor que só contribui para aumentar as estatísticas da violência em nosso país. #sexualmente #abusar