Aproveitando as deficiências no sistema de segurança das cidades, bandidos especializados em roubo a residências estão superando os limites de ousadia.

Nesta semana, um vídeo divulgado nas redes sociais serve de exemplo desse comportamento “arrojado” dos criminosos. As imagens, filmadas por um assaltante, mostram o interior de uma residência, na cidade de Colombo, localizada na região metropolitana de Curitiba.

É possível ver uma família rendida em um dos quartos. Pelas lentes do marginal também se observa que vários objetos de valor foram separados para serem levados pela quadrilha.

O bandido começa o vídeo mostrando uma sala de TV, depois um quarto onde estão três pessoas amarradas e deitadas de bruços em um colchão no chão.

Publicidade
Publicidade

Ele parece satisfeito com o trabalho que está fazendo e declara: “tudo certinho aqui né? Graças a Deus. Vai dar certo”.

Na sequência, o meliante mostra o próprio rosto, antes de filmar um outro cômodo com vários objetos revirados. Na porta de outro recinto aparece rapidamente um colega de #Crime.

Pelas mãos do assaltante a câmera continua passeando pela casa tranquilamente. O assaltante passa pelo banheiro do pavimento superior e de novo pelo quarto de casal e a sala de TV. Depois o meliante desce as escadas calmamente e foca o próprio rosto ao dizer: “Bagulho sinistro, irmão. Chego a estar suado”. Ele faz questão de enquadrar também o revólver.

Um terceiro assaltante armado é filmado, além da sala do primeiro andar. Por último, o cinegrafista criminoso entra na cozinha e registra até mesmo a parte interna da geladeira, cuja porta é aberta pela mesma mão que segura a arma usada no crime.

Publicidade

Depois de pouco mais de um minuto de filmagem, o assaltante se dá por satisfeito e desliga a câmera. Pelo reflexo da geladeira é possível ver que as cenas foram captadas por um aparelho celular.

Claro que a repercussão nas páginas de notícias policiais é grande, com muitos comentários destacando o crescente abuso dos bandidos e a consequente insegurança dos cidadãos reféns do crime organizado no Brasil.

#Investigação Criminal