Francisca Ribeiro, foi presa em flagrante tentando embarcar em uma rodoviária com a filha da vizinha, de apenas um mês de vida.

Ela pretendia levar a bebê consigo para o Mato Grosso, onde a mostraria para o ex companheiro e diria a ele que ela era sua filha também. A estratégia tinha como objetivo sensibilizar o homem e convencê-lo a reatar o relacionamento.

Graças à agilidade da mãe da criança e de amigos, que deduziram que a raptora poderia estar na rodoviária, o sequestro foi mal sucedido e a acusada foi presa em flagrante.

A mãe da menor, Alessandra Ferreira, tinha feito amizade com Francisca, que passava algum tempo hospedada na casa de familiares em um apartamento ao lado de sua residência, no Jardim Samambaia, no Distrito Federal.

Publicidade
Publicidade

Ela precisou ir ao cartório registrar a criança e achou melhor deixar a bebê com a colega. Assim que Alessandra saiu, Francisca fez as malas, sedou a criança e foi para um comércio próximo pedir ajuda para chamar um taxi. Para as pessoas que estavam no local ela mencionou que estava indo para a rodoviária para viajar de volta a seu estado.

A polícia obteve imagens da câmera de segurança do estabelecimento. Nas imagens Francisca aparece segurando cobertas que usou para enrolar a menina para disfarçar. Os comerciantes até acharam estranho a cena, mas como não ouviram nenhum ruído ou choro de criança, não perguntaram nada.

Pelas imagens é possível ver que Francisca esperou cerca de 10 minutos até o Uber chegar. Ela foi ajudada por um dos frequentadores do estabelecimento a entrar no carro.

Publicidade

Ao ser presa em flagrante na rodoviária, Francisca confessou que tentava levar o bebê para o Maranhão, onde morava o ex companheiro.

Com o bebê de volta, a mãe conseguiu respirar aliviada. No entanto, percebeu que a filha estava muito quietinha, sem reação e sem querer nem mesmo mamar. Suspeitando que a sequestradora pudesse ter dopado a bebê, Alessandra levou a filha para o hospital. A criança ficou no oxigênio e depois em observação por três horas até voltar ao normal. Agora ela está bem.

#Crime #Investigação Criminal