Graças ao avanço na medicina, o transplante de órgãos pode ser realizado de forma segura e eficaz para quem necessita de um novo órgão. A luta para sobreviver de milhares de pacientes que aguardam um transplante é diária, fazendo com que muitos não sobrevivam a tão esperada cirurgia.

Seja por falta de doadores ou por empecilhos em uma fila gigante, muitos pacientes acabam não recebendo outro órgão a tempo. Essa espera pode ser longa e obedece a critérios rigorosos mantidos pelo Ministério da Saúde, que tenta priorizar pacientes em estados de maior necessidade.

Às vezes um parente próximo pode salvar a vida de quem precisa de um órgão novo e diminui a angústia de quem espera na fila do Sistema Único de Saúde (SUS).

Publicidade
Publicidade

Mas, nem sempre os pacientes encontram pessoas compatíveis na família, e em alguns casos, o órgão é considerado vital e só pode ser transplantado de alguma vítima falta que decidiu doar os órgãos.

São diversas as intempestividades que podem aparecer para quem está a espera de um órgão. Sem muitas alternativas, quem possui recursos financeiros acaba recorrendo ao mercado negro de órgãos, em busca de sua sobrevivência.

Por mais que as autoridades tentam controlar a venda de órgãos, ele existe e tem até tabela de preço para cada órgão vendido. Esse tráfico de órgãos acontece até em âmbito internacional e muitas pessoas acabam vítimas desses criminosos.

Um dos órgãos mais caros é o rim, por ser o mais procurado por pacientes que desejam abandonar os tratamentos de filtragem do sangue. Cada ser humano saudável possui dois rins e podem sobreviver apenas com um, fazendo com que pessoas possam negociar seus próprios órgãos.

Publicidade

Na hora do desespero e de falta de dinheiro, algumas pessoas acabam arriscando a vida em busca de alguma grana. Essas pessoas acabam vendendo partes do seu corpo, procurando ganhar dinheiro com a venda de órgãos.

Depois do rim, o coração é o terceiro órgão mais valioso vendido no comércio ilegal de órgãos em todo o mundo. O coração é vendido por mais de 200 mil reais, enquanto o rim é vendido por quase 500 mil reais cada um.

Em segundo lugar, o fígado está entre os órgãos mais caros vendidos no comércio ilegal. Cada fígado pode ser vendido por até R$ 296.277,00 no mercado negro de órgãos que funcionam em todo o mundo.

#Crime #Casos de polícia