O surto de febre amarela pegou os brasileiros de surpresa no final do ano de 2016. Moradores de alguns estados do sudeste começaram a apresentar os sintomas da doença e, após a confirmação da patologia, o Ministério da #Saúde começou a tomar providências deixando os cidadãos apreensivos.

No Espírito Santo, a procura por vacinas aumentou consideravelmente, o mesmo aconteceu em Minas Gerais. O governo federal aumentou as doses para os estados onde está havendo suspeitas da #Febre Amarela. Mas, com o surto, diversos mitos começaram a aparecer entre a população que recebe muitas informações pelas redes sociais, não sabendo quais são verdadeiras e quais não são.

Publicidade
Publicidade

Todas as pessoas que moram em áreas de risco devem ser imunizadas ao menos duas vezes durante toda a vida. Mulheres que estão grávidas ou amamentando e idosos estão no grupo das contraindicações para receberem a vacina.

O Ministério da Saúde já disponibilizou, desde janeiro, quase 10 milhões de doses para os municípios que estão na zona de risco. Essas doses são extras. Minas Gerais, que é o maior estado onde acontece o surto, recebeu 4,5 milhões de doses extras, o maior quantitativo distribuído seguido pelo Espírito Santo que conta com mais 2,5 milhões de imunidade. São Paulo irá contar com 1,2 milhão e Bahia e Rio de Janeiro, 900 mil e 800 mil respectivamente.

Os estados brasileiros já recebem doses anualmente para cumprir o calendário de vacinação, mas, com o surto da doença, as cidades estão recebendo doses para reforçar o quantitativo existente.

Publicidade

Ao todo, 19 estados da federação recebem doses da vacina contra a febre amarela. A pessoa só precisa se vacinar duas vezes durante a vida.A recomendação é que também se vacine os turistas e viajantes que irão para as áreas de risco. As localidades que apresentam suspeita da doença são: Minas Gerais (região leste), Espírito Santo (oeste), Rio de Janeiro (noroeste) e Bahia (oeste).

Dados revelam que 1.170 casos da doença estão sendo investigados pelos órgãos competentes. 79 pessoas já morreram e muitos outros seguem sendo apurados.